E quando a licença-maternidade acabar?!

Li essas matérias na Revista Crescer e achei muito boas, pois podem ajudar nesse 1o momento da mãe de retorno a vida profissional.
bj,
Alê

Como a mãe deve lidar com o fim da licença-maternidade


Os primeiros dias – e até meses – depois do fim da licença-maternidade vão ficar mais fáceis com o guia que preparamos para você se organizar e se sentir mais feliz e segura


Por Thais Lazzeri


ESCOLHA COM QUEM O BEBÊ VAI FICAR
Este é o grande fantasma. Afinal, ninguém cuida melhor do bebê do que você. Deixe esse argumento de lado e decida com quem ele vai ficar. Isso vai trazer segurança, afinal você sabe que ele vai estar em um ambiente seguro com pessoas preparadas para cuidar dele. Cada escolha pede um tipo de adaptação. 



1) Se decidir pelo berçário: veja qual vai ser o local até o fim do terceiro mês da licença e comece a adaptação da criança uma semana antes de voltar ao trabalho. 


2) Se a opção for a empregada ou a babá: contate-a com pelo menos um mês de antecedência e ensine como os cuidados com seu filho devem ser feitos.


 3) Se ficar com a avó: comece a adaptação com alguns dias de antecedência. No início, você vai deixá-lo sozinho com ela por curto espaço de tempo. Aumente a quantidade de horas até chegar ao tempo real.


CONTINUE AMAMENTANDO
Manter esse vínculo vai ser importante para seu filho e para você. As empresas precisariam ter um espaço para a amamentação. Se tiver, você pode usar os dois intervalos de 30 minutos diários garantidos por lei para retirar o leite ou então amamentar o bebê se morar perto do trabalho. Existe a possibilidade de você sair uma hora mais cedo se a empresa não dispõe desse local, e aí é preciso retirar o leite em casa pela manhã. É um esforço, mas tem de ser prazeroso. Não pode causar estresse.


DÊ UM PASSO DE CADA VEZ
Nós, mulheres, estamos acostumadas a fazer mil coisas ao mesmo tempo, e você vai pegar rápido as novidades do trabalho. Se a iniciativa de uma conversa não partir de seu chefe, peça para falar com ele e pergunte sobre as mudanças que ocorreram e os projetos que ele tem para você. Também almoce com os colegas para se integrar à equipe e prepare-se: antes você não tinha hora para voltar para casa, agora vai ter sempre alguém esperando por você.


DIVIDA AS TAREFAS
Não faça tudo sozinha – nem que você consiga. Chame seu companheiro ou alguém da família para ajudar. Delegue. Tenha na geladeira uma lista de telefones úteis, uma espécie de disk-tudo (que faça entregas): supermercados, farmácias, restaurantes etc. Você não imagina como eles vão facilitar sua vida!


ACABE COM A PREGUIÇA
No fim da licença, faça caminhadas com seu filho pela manhã. Não se esqueça de arrumar um horário para você. Um cabelo bem tratado faz milagres para a autoestima feminina.


CONFIE EM VOCÊ
Das 10 melhores empresas brasileiras eleitas pelo instituto great place to work no ano passado, mais de 40% tinham mulheres em cargos de liderança. Muitas delas são mães. Os empresários acreditam que a maternidade torna a mulher mais sensível e flexível.


PENSE NO DINHEIRO
A maioria das mulheres trabalha por necessidade. De qualquer maneira, é mais tranquilo para a família não depender de só uma renda. Seu filho vai ter acesso a coisas que não poderia ter de outra forma.


ACERTE A ROTINA
Tente imaginar como ficaria sua rotina e veja quais ajustes são necessários. Marque os telefones de emergência e coloque-os em uma lista de prioridade, com os contatos de seus pais e até os de sua melhor amiga.


PEÇA PARA ANOTAREM TUDO
Compre uma agenda e peça para a pessoa que cuida de seu filho preenchê-la com tudo que se passa ao longo do dia, desde a hora do banho até uma eventual cólica. Assim, você acompanha o crescimento do bebê de perto.


NÃO SE CULPE
Voltar ao trabalho por gostar do que faz não é razão para culpa. É direito seu ter outras realizações (além de ser mãe!). Tenha certeza de que seu filho vai sentir orgulho de você.


MATE A SAUDADE
Coloque algumas fotos do bebê em sua mesa e controle-se para não ligar a cada hora para casa ou para não ficar horas conectada se o berçário tiver câmera.


ENTRE PARA O CLUBE
Converse com outras mães do trabalho que já passaram por isso, assim você não vai se sentir sozinha. Veja quem é mais receptivo, afinal nem todos com quem você trabalha têm filhos e falar sobre crianças o tempo todo pode gerar algum tipo de constrangimento. Se curtir, crie o próprio blog, entre em comunidades. E não é só você. Há milhares de mães passando por essa mesma situação todos os dias. Quem sabe você não consegue ajudar alguém?




Fontes: Amália Sina, empresária e autora de Mulher e Trabalho – O desafio de conciliar diferentes papéis na sociedade (Ed. Saraiva), Caitlin Friedman, relações públicas e profissional de marketing norte-americana, Haline Aquino, consultora do instituto Great Place to Work, Rosa Maria Macedo, terapeuta familiar e coordenadora do núcleo Família e Comunidade da PUC-SP.
------------------------------------------------------------------


Se você ainda está com o bebê em casa, mas já está pensando nesse momento, confira 5 ideias para torná-lo o mais tranqüilo possível!


Monica Brandão


1. Durante a licença, troque e-mails com os colegas e pergunte dos novos projetos. Você não ficará tão fora de sintonia quando voltar.


2. Leia jornais e mantenha-se atualizada em sua área.


3. Pense com quem ficará a criança. As soluções mais tradicionais são babá, berçário ou parentes, mas você pode até mesclar as três formas. O importante é ficar segura da escolha para trabalhar tranquilamente.


4. Converse com outros casais para saber como eles resolveram essas questões. Você não só pode usá-los como exemplo como também terá a oportunidade de falar dos seus sentimentos e ver que não está sozinha.


5. No dia da volta, organize a rotina do bebê e deixe seus números de telefone. Respire
fundo e vá trabalhar. Acredite, sofremos mais do que ele. E lembre-se de que o sorriso que ganhará na volta compensará qualquer coisa.
-----------------------------------------------------------------------------


10 dicas para voltar a trabalhar feliz depois da licença-maternidade


Veja o que você pode fazer para retornar bem ao trabalho


Monica Brandão e Tamara Foresti


1. Saber que, por mais que o começo seja difícil, você vai ser mais feliz, e até uma mãe melhor para seu filho, se estiver realizada profissionalmente.


2. Lembrar-se de que é mais importante a qualidade do tempo que você fica com a criança do que a quantidade.


3. Confiar plenamente em quem cuida do bebê, seja a babá, os avós ou o berçário que você escolheu.


4. Organizar seu horário para almoçar em casa ou voltar a tempo de colocar o filho na cama.


5. Checar a possibilidade de trabalhar alguns dias em casa, mesmo que seja meio período. Algumas empresas aceitam esse tipo de acordo. Todos lucram: mãe, bebê e o trabalho também.


6. Acreditar que você e seu filho ganham com o emprego – estamos falando mesmo de dinheiro e de oportunidades.


7. Trabalhar concentrada e fazer o tempo render para matar a saudade logo!


8. Ligar para casa algumas (muitas!) vezes ao dia para saber como o bebê está.


9. Conversar com as amigas que já passaram por isso. Conselhos e colo (para você, nesse caso) serão muito bem-vindos.


10. Exorcizar a culpa. Ela não ajuda em nada e você acaba gastando energia à toa.


Fonte: Revista Crescer
Comentários pelo Facebook
4 Comentários pelo Blogger

4 comentários:

  1. Olá Alê,
    Amei seu cantinho, vamos te seguir tá?
    Um beijo no coração
    Elen e Duda

    ResponderExcluir
  2. Esse ponto é complicado...

    tive que deixar a Ester qdo ela tinha apenas 2 meses... coisa terrivel, mas foi necessário;..

    abraços cheirosos

    ResponderExcluir
  3. Oi Alê, tudo bem?

    To passando pra desejar ótima semana,

    bjoo grande =)

    ResponderExcluir

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger