Cisto de Corpo Lúteo: o que é? Por que acontece? Entenda!

O corpo lúteo é é uma "cicatriz", ou seja, o folículo cresceu, amadurece e se rompe para a saída do óvulo do ovário, esse folículo que murcha torna-se uma espécie de cicatriz. Essa cicatriz torna-se uma glândula pequena e temporária conhecida como corpo lúteo ou corpo amarelo.



O corpo lúteo produz grandes quantidades de estrogênio e progesterona preparando a mulher para uma concepção. Se a gravidez não ocorrer, o corpo lúteo geralmente desaparece. Porém, o corpo lúteo pode encher-se de fluído, o chamado cisto de corpo lúteo, ou de sangue, o chamado cisto de corpo lúteo hemorrágico, ficando no ovário. 
Neste caso, a ovulação aconteceu, mas o corpo lúteo (que parece uma bolsinha murcha), se enche de líquido, formando um cisto. Deve ser acompanhado, caso a menstruação atrase, ou em caso de dor, o que não é muito comum.

Os cistos de corpo lúteo são menos freqüentes que os cistos foliculares. Ele não traz riscos à gravidez e, geralmente, não interferem na produção hormonal ovariana e nem com o padrão ou duração do ciclo menstrual, porém, excepcionalmente, podem persistir funcionalmente ativos por mais de 2 semanas, que é o período médio de duração da fase lútea. Nesta eventualidade, haverá uma continuidade da produção de estrogênio e progesterona que impedirá a descamação do endométrio, provocando um atraso menstrual.

Paralelamente, o crescimento do corpo lúteo, quando acima de 5cm, poderá provocar uma dor no baixo ventre e ao toque vaginal ou à ultra-sonografia pode ser confundido com uma gravidez ectópica. Este quadro é conhecido como “Síndrome de Halban” e uma dosagem negativa das gonadotrofinas coriônica confirmará o diagnóstico. A maioria das pacientes se apresentam com uma dor aguda, com uma duração geralmente menor que 24 horas, embora algumas se prolonguem por até 7 dias. Aproximadamente um quinto das pacientes relatam o acidente ocorrido durante o ato sexual. A ultra-sonografia poderá confirmar a presença de um cisto ovariano e de líquido no fundo de saco de Douglas. A dosagem do beta HCG afastará a possibilidade de uma gravidez ectópica rota. 

A conduta é simplesmente aguardar, quando não há dor abdominal. Em casos mais graves de dor excessiva, sangramentos, taquicardia ou hipotensão a intervenção cirúrgica pode ser necessária. A laparoscopia ou laparotomia confirmará o diagnóstico e o sangramento poderá ser controlado por cauterização, por coagulação à lazer ou pela ressecção do corpo lúteo. Mulheres que usam anti-coagulantes estão particularmente propensas a apresentar este problema, bem como a recorrência de cistos nos ciclos futuros.

Fontes de Pesquisa: Site de Ginecologia, http://hugojoaquim.com.br, E-family

Alê Nunes
Blog Da Fertilidade à Maternidade

P.S.: Gostou do post, então compartilha :), mas se for copiar cite a fonte, com link e a autora. É mais justo com quem pesquisa e escreve sobre o assunto para tentar ajudar. Obrigada, Alê

* As informações disponíveis são meramente informativas, os comentários respostas são informações leigas e não substituem a Consulta Médica!
Comentários pelo Facebook
4 Comentários pelo Blogger

4 comentários:

  1. Oi Alê muito legal e instrutivo o seu blog. Parabens!!!!!

    ResponderExcluir
  2. boa tarde

    estou gravida de 12 semanas na minha segunda gestação fiz o trans ontem porem deu cisto corpo luteo no ovario direito medindo 4,10 x 2,66 cm. tem algum problema e prejudicial ao bebe ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, não traz riscos para o bebê, o cisto de corpo lúteo é normal pós-ovulação até a formação da placenta. Mas leva o exame para teu médico avaliar, que ele vai te dar a orientação correta, possivelmente na próxima ultra já deve ter diminuído.

      Excluir

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger