Será que o mioma realmente é um vilão quando o assunto é infertilidade?


Antes de tudo, é importante sabermos que os miomas são tumores benignos que surgem na musculatura do útero e formam nódulos. Eles podem acometer até 50% das mulheres em idade reprodutiva, quer dizer, na fase em que menstruamos e que podemos engravidar.
A grande maioria dos miomas não nos causa nenhum sintoma. Quando estes surgem, aparecem como uma alteração da menstruação, levando a um maior tempo de sangramento, e aumento do fluxo menstrual.

Podemos descobrir que temos mioma quando fazemos à ultra-sonografia transvaginal ou da pelve de rotina, mesmo sem sentirmos nada. Podemos perceber uma alteração na menstruação e procuramos o Ginecologista, que pelo toque sente o útero aumentado suspeitando de mioma, o que vai ser confirmado pelo exame de ultrassonografia.



Ainda não se sabe ao certo o que provoca o aparecimento dos miomas. Eles parecem ter origem em alterações genéticas, por isso é comum observar a manifestação do problema em mulheres de uma mesma família, sendo mais freqüentes entre mulheres de raça negra. Sabemos que seu aparecimento e crescimento estão associados à atividade dos estrogênios (hormônio feminino), por isso o mioma pode diminuir ou desaparecer após a menopausa, período em que há redução importante na produção dos estrogênios.

E qual a sua relação com a infertilidade?

Bem, em mulheres sem sintomas, mas com dificuldade de engravidar, a presença de um mioma isoladamente é responsável por 5% dos casos de infertilidade, ou seja, é muito raro que só a presença do mioma seja a causa da dificuldade em obter a gravidez. Por esse motivo, não devemos no9s apavorar quando um exame de rotina, mostra um mioma. No caso de estar associado a outras alterações tais como: endometriose, inflamações pélvicas, a incidência aumenta para 15 a 20%.

O mioma pode levar a alterações (deformidades) do órgão que dificultam a implantação do embrião. Na maioria das vezes isso ocorre quando o mioma está dentro do útero, na sua parede ou na cavidade. Quando ele está dentro da cavidade do útero (chamado de submucoso), qualquer que seja seu tamanho será suficiente para atrapalhar a implantação do embrião.

Já quando ele está na parede do útero (intramural), costuma causar dificuldades para engravidar quando cresce e provoca deformidades no útero, podendo atingir e grandes dimensões. Se ele está perto do local em que a trompa se insere no útero, pode obstruí-la impedindo assim que o espermatozóide e o óvulo se encontrem. Mas se o mioma está para fora do útero (subseroso), ele geralmente não causa dificuldades para engravidar. E não podemos esquecer também que algumas pacientes desenvolvem miomas múltiplos que se espalham por todo o órgão ou a sua maior parte, fazendo com que ela tenha que retirar seu útero.

E existem complicações se engravidar com mioma?

Existe a chance de crescimento do mioma na gravidez. As complicações eventuais vão depender do tamanho e da localização do mioma. Entre os tipos de complicações se destacam o abortamento espontâneo, no início da gestação, a possibilidade de parto prematuro, descolamento de placenta, dificuldades durante o parto e dor forte na barriga durante a gravidez.

O mioma tem tratamento?

Nem toda paciente com mioma precisa ser tratada, já que se trata de uma doença benigna e que na grande maioria dos casos não causa sintomas. Quando causa sintomas significativos, ou quando atingem maiores tamanhos, o mioma deverá ser tratado.

Existe uma gama de opções de tratamento do mioma que poderemos lançar mão. Tais como:

- medicamentoso, onde usamos hormônios que podem impedir o crescimento do mioma, e ajudam a controlar o sangramento;

- cirúrgico, através de cirurgias abertas, por vídeo-laparoscopia, por video-histeroscopia; cirurgias que podem retirar somente o mioma ou todo o útero.

- Embolização: onde é introduzido um cateter que vai até a artéria do útero e obstrui os vasos que alimentam o mioma.

- Ultra-som focalizado guiado por ressonância magnética, onde é feita uma coagulação térmica do mioma, provocando a sua destruição.

De qualquer jeito, assim que é feito o diagnóstico de mioma, você deverá consultar o seu ginecologista e fazer um controle a cada seie meses através da ultrassonografia,, para avaliar seu desenvolvimento, pois quando descobertos em fase inicial, com tamanho pequeno, são passíveis de tratamento que permitem preservar o útero. Então, assim que você descobrir um mioma, procure imediatamente seu ginecologista.

Fonte: http://inseminacaoefertilizacao.blogspot.com

Leia mais em http://anunes.e-familyblog.com/note/3392
Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blogger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger