Meu bebê não quer largar o peito. O que faço?

Eu não sou a pessoa mais experiente nisso, pois minha filha mama até hoje e nem sei quando vou desmamar, mas a matéria é muito boa pra quem está passando ou vai passar por essa fase de desmame. Alê

A equipe do BabyCenter responde:

A maioria dos bebês faz a transição do peito para a mamadeira sem grandes problemas, o que não quer dizer que algumas crianças não saibam que aquilo que mais amam na vida está embaixo da sua blusa e simplesmente não aceitem outra coisa! Caso seu filho se enquadre nessa categoria, talvez você possa reconsiderar o desmame. Os especialistas recomendam que o desmame ocorra quando o bebê der sinais de que está pronto para isso, como desinteresse pela mamada, aceitação de novos alimentos e de outros formas de consolo.

Se você realmente quer ou precisa parar de amamentar, comece então substituindo uma das mamadas por uma fórmula infantil (para crianças menores que 1 ano) ou leite integral (para as maiores de 1 ano) na mamadeira ou em um copinho, de preferência. Conforme a aceitação do bebê, vá substituindo outras ao longo do dia.

Caso já tentado de tudo para desmamar seu filho sem obter êxito, talvez não tenha chegado a hora ainda. Muitas vezes sua volta recente ao trabalho ou alguma doença que esteja incomodando a criança sejam as causas de um apego ainda maior ao seu peito (e, na realidade, o aleitamento materno é ótimo para as crianças doentes).

Grandes mudanças dificultam o desmame. Se algo estiver acontecendo na sua vida, pode ser que o melhor a fazer seja esperar pelo próximo mês para uma nova tentativa. Não se preocupe, esse é um processo natural do desenvolvimento do bebê e, de repente, ele dará sinais de que outras coisas serão mais interessantes.

O peito pode ter se transformado num instrumento para acalmar a criança na hora da irritação ou da birra. Nesse caso, procure outras formas de tranquilizá-la, porque depois pode ficar mais difícil ela abandonar o hábito.

Outra pergunta que você deve se fazer é se não é você quem está resistindo ao desmame. Os pediatras estão acostumados a ver a dependência da mãe à amamentação, principalmente no caso de caçulas ou temporões. É difícil quando o seu bebê começa a deixar de ser bebê.

E a culpa é sempre uma grande vilã nessa hora, principalmente se você não tem muito tempo para ficar com seu filho. Quando isso acontece, é a criança que acaba determinando a hora de parar de mamar no peito, mesmo que a mãe não queira.

Com crianças mais velhas, é sempre possível tentar estabelecer regras e combinados, do tipo "Só vamos sentar para mamar na hora da sua soneca ou à noite" ou ainda "Você sabe que só vai mamar no peito da mamãe quando estiver escuro lá fora".

Quando chegar a um ponto em que realmente não vai dar para esperar mais para o desmame, simplesmente fale para seu filho: "Agora que você cresceu não vai mais mamar no peito da mamãe, mas estou aqui para muitos abraços e beijinhos".

Fique firme na decisão e esteja preparada para as lágrimas. Lembre-se de que não há nada que confunda mais uma criança do que a falta de rotina. E, se você ceder às lágrimas desta vez, só vai dificultar as coisas para uma próxima tentativa.

Fonte: Site babycenter
Comentários pelo Facebook
6 Comentários pelo Blogger

6 comentários:

  1. Oi Alê, para algumas isso é muito difícil mesmo, isso é uma dica muito boa.Minha irmã conseguiu só porque teve que ficar uma semana longe dele por motivo de trabalho. Grande bjjjjj e fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  2. Ola!!

    Eu não tenho idéia de até quando vou amamentar o goido ( a minha menina mamou até 2 anos e foi desmamada gradualmente por que ela acabava só querendo o peito e não alimentos e eu cheguei a 37kg, os gêmeos trocaram o peito pela mamadeira) esse gosta muito do peito e quer toda hora!

    Super dicas!!

    bjus

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu sei o quanto é dificil pra mim ter parado de dar o peito pra minha filha. Ela pegou a mamadeira super bem, mas eu ainda sofro com a culpa, principalmente quando vejo o quanto ela se acalma na posição de mamar com juma chupeta na boca... Mas, fazer o que, eu não podia continuar, e mesmo que pudesse, um dia ela ia desmamar né?

    ResponderExcluir
  4. Oi meninas, que bom que vcs vieram dar sua opnião e dividir as experiências.

    Deve ser um processo bem complicado, mais pra nós até, porque é um vínculo muito grande, eu confesso que tem vezes q penso em desmamar, mas quando penso naquele momento só meu e dela, daquela boquinha e daquele 'mãe mamá da Gigi', já mudo de idéia, hehe. Mas sei q vou ter q enfrentar esse momento uma hora mesmo.

    bjss

    ResponderExcluir
  5. estou tentando desmamar minha filha, ela esta com 1 amo e 3 meses, esta muito dificil pois ela quer mamar o tempo todo, e pareçe que esta ficando mais apegada, e carente, sentida, nao sei se e por causa disso. eu fico sem dar o peito o dia todo, mas a noite pra dormir eu dou, e de madrugada tb. queria parar de dar a noite tb. mas eu fico com tanta dó, e de partir o coraçao ver ela querendo o tete dela e eu nao dar, mesmo com tanto leite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Indiara, eles tendem a ficar mais carentes mesmo, tem que ter paciência e dar muita atenção. Outra coisa que pode ajudar, ajudou no caso da minha filha, é dar uma fraldinha, uma roupa sua ou mesmo um bichinho de pelúcia. Dei uma blusa minha, com um tecido mais molinho, que a minha filha adora, ela se apegou aquela blusa e dorme com ela até hoje, ela está com 5 anos.
      O desmame tem que ser algo bem gradual mesmo, pois é um vínculo emocional para o bebê e para a mãe tb, eu senti bastante.
      Se ela está mamando na mamadeira, procure dar a noite, mesmo que em seguida vc dê um pouco de peito, assim e com um paninho ou bichinho para se agarrar, possivelmente ela vai dormir mais e não acordar tanto a noite pedindo o peito.
      Espero que as dicas te ajudem.
      bj

      Excluir

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger