Para meu filho Mateo!

Hoje é um dia que não consegui escrever para o blog, como sempre, pois é um dia triste, também é um dia de luto para mim, seria o dia do nascimento do meu filho. E queria registrar também aqui no blog, que muitas vezes tem sido o livro da minha vida, um pouco do que estou sentindo, a minha mensagem para meu filho Mateo.

Filho, hoje seria um dos dias mais felizes da minha vida, pois você nasceria. Infelizmente não pode ser assim, não pude te ter nos braços, te amamentar, nem te ver crescer.

Pelo menos hoje, não quero ser forte!
Hoje nenhuma palavra me servirá de consolo!

Hoje, não quero saber que foi melhor assim!

Hoje, quero ser apenas tua mãe e chorar pelo que não conseguimos viver, chorar tua ausência!

A maternidade muda muito uma mulher, mas a perda de um filho nos transforma, é inexplicável, sulreal! Você nunca mais será a pessoa que foi.

Filho, você estará para sempre vivo no meu coração, por mais que o tempo passe sempre serás meu bebê e tenho certeza que ainda vamos nos reencotrar.

Te amo para sempre meu anjinho, fique em paz e na luz de Deus!

Alessandra Nunes

"Meu Bebê, 

Eu queria cantar para embalar seus sonhos, agora sei que os anjos do céu farão isso por mim... 

Eu queria olhar nos teus olhinhos a brilhar e dizer que te amo, agora farei isso olhando as estrelas... 

Eu queria te pegar no colo e te envolver no meu abraço, mas sei que nos braços do Pai você estará bem mais protegido do que nos meus... 

Por mais que o tempo passe, nunca vou me esquecer de você porque o meu amor é eterno."

Gestação anembrionária (ovo cego): o que é, por que acontece?!


A gravidez anembrionária ou "ovo cego", é quando não há embrião, ou seja, um óvulo é fecundado, se agarra às paredes do útero, mas não sofre qualquer desenvolvimento. Com isso o saco amniótico surge mas não o embrião.

Uma situação muito comum de acontecer, mas que gera N dúvidas para quem passou por isso, sendo que na maioria das vezes não há uma causa diagnosticada. Abaixo algumas perguntas e respostas sobre isso, que talvez ajude a esclarecer um pouco.

Como saber se teve ou tem uma gestação anembrionária?

Um ovo cego pode ocorrer muito cedo na gravidez. Os sintomas que se manifestam são os mesmo de uma gravidez normal, os níveis de HCG aumentam normalmente, a placenta pode continuar a crescer e a suportar-se sem o bebê por um curto período de tempo. Só há um diagnóstico conclusivo com a ecografia (ultrassom) entre 7 e 9 semanas de gravidez, que confirma o saco amniótico vazio.

Gestação anembrionária (sem embrião visível ao ultra-som devido morte fetal precoce) é diagnosticada no ultrassom, quando na presença de um saco gestacional maior que 11mm não se consegue ver a vesícula vitelínica ou quando maior que 18mm não se consegue visualizar o embrião.

A mulher pode apresentar sinais como diminuição dos sintomas de gravidez, como náuseas, vômitos e diminuição da sensibilidade das mamas, e algum sangramento genital pode acontecer antes do diagnóstico ultrassonográfico.

Miomas Uterinos: perguntas, respostas e tratamentos

Mal que acomete cerca de um quarto da população feminina com idade reprodutiva - entre 25 e 45 anos - o mioma é o tumor benigno mais comum entre as mulheres e não são um tipo de câncer, nem se transformam em câncer. Eles se originam na parede do útero e são formados basicamente por fibras musculares, podendo ser chamados também de leiomiomas, fibromas ou fibromiomas.

Com tamanhos variados, os miomas podem crescer para dentro ou para fora do útero. Como nem sempre estão associados a sintomas, eles podem, muitas vezes, ser ignorados. A detecção, nesses casos, costuma ser feita por meio de ultrassonografia pélvica ou transvaginal.

Mais frequentes em mulheres na faixa dos 40 anos, eles podem causar sangramento, dor pélvica e, por vezes, incontinência urinária e constipação, determinando diminuição importante na qualidade de vida. Além de um importante fator de infertilidade, os miomas devem ser pesquisados e, dependendo da orientação médica, combatidos.




Quais as chances de uma mulher desenvolver miomas?

Dicas para perder peso após o parto


Diversos fatores são relacionados à ocorrência de sobrepeso/obesidade em mulheres: história reprodutiva (paridade), lactação, atividade física, assim como fatores ligados ao estilo de vida no pós-parto.

Os principais fatores determinantes para retenção de peso e para a obesidade no pós-parto estão ligados ao estilo de vida neste período. Pode-se considerar que em torno de 15% das mulheres fumantes o deixam de fazer quando engravidam. Este já é um fator que segundo pesquisas, mostrou que estas mulheres que pararam de fumar no começo da gravidez ganharam mais peso do que as não fumantes durante a gestação e também 6 meses após o parto!

Alguns estudos têm enfocado a relação entre atividade física, dieta e retenção de peso no pós-parto. Um programa moderado de exercício físico, em conjunto com uma leve restrição calórica, é benéfico na perda de peso em mulheres lactantes com sobrepeso. A perda entre 1kg e 2kg por mês não comprometerá a produção de leite e, conseqüentemente, o crescimento infantil.

Outro ponto interessante é a relação entre lactação (amamentação) e mudanças na composição corporal da mulher. Os resultados dos estudos são bastante controversos, porém, alguns deles considerados importantes, revelaram o efeito protetor da amamentação na perda de peso das mães.

Após o parto, o importante é:

HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger