Ovários Policísticos, Síndrome de Ovários Policísticos(SOP), Ovários Micropolicísticos, Síndrome de Ovários Microolicísticos(SOMP): entendendo melhor! Qual a diferença?!

Bom gente, um dos problemas mais comuns nas mulheres, mas muitas vezes complicado de entender, afinal fala-se e, ovários policísticos, síndrome de ovários policísticos, ovários microcísticos, micropolicísticos, ... então resolvi escrever um artigo para tentar esclarecer um pouco mais.

Os ovários policísticos ou microcísticos acontecem por uma disfunção hormonal na mulher, que produz uma maior quantidade de hormônios masculinos, produzindo cistos ou microcistos nos ovários, geralmente mais que 10 em cada ovário por ciclo. Cerca de 20 a 30% das mulheres em idade fértil tem ovários policísticos, mas só 5 a 10% delas tem a síndrome desenvolvida, ou seja, a grande maioria não tem nenhum sintoma e só descobre que tem quando fazem um ultrassom. Pois é, a maioria das mulheres que tem ovários policísticos é assintomáticas (não tem nenhum sintoma), tem ciclo regulado, não é obesa, não tem pele oleosa, ...
Já as que desenvolvem a síndrome geralmente tem pêlos excessivos, acnes, obesidade e/ou infertilidade, além da irregularidade menstrual. Quem tem ovários policísticos menstrua em média 1 vez a cada 2 ou 3 meses. É considerada uma doença crônica, que geralmente surge na adolescência e tende a se normalizar após os 35 anos, mas não é regra, algumas mulheres desenvolvem mais tardiamente, ou mesmo, por não terem sintomas anteriormente, acabem descobrindo mais tarde.

As causas ainda são estudadas, mas as possibilidades são: má funcionamento da hipófese, alterações cromossômicas e aumento da insulina no sangue.

Muitas mulheres tem dúvida em relação a diferença entre síndrome de ovários policísticos e síndrome de ovários microcísticos, ou micropolicísticos, a diferença é apenas no tamanho e número de cistos, no restante é a mesma coisa.

Quanto à fertilidade, os ovários policísticos podem causar irregularidade ou falta de ovulação, por isso é tão importante a avaliação médica correta quando a mulher decide engravidar. Cerca de 25% das mulheres que tem ovários policísticos conseguem engravidar sem tratamento. 

tratamento, na maioria dos casos, é simples, mas depende da avaliação médica para ser definido.

Para diagnosticar corretamente e definir o melhor tratamento o médico solicita exames de LH, FSH, Estradiol, Progesterona, Testosterona, Insulina e ultrassom. Os exames de Estradiol e Progesterona são feitos em 2 ou 3 dosagens no mesmo ciclo, para avaliar se há ou não ovulação. Nas mulheres com ovários policísticos a relação entre os hormônios LH e FSH é maior que um e meio, ou seja, LH FSH > 1,5.

O tratamento pode feito com anticoncepcional, principalmente quando há muitos cistos que estejam impedindo à ovulação ou quando a mulher não está tentando engravidar. Complementam o tratamento uma dieta equilibrada e exercícios físicos, que ajudam na regularidade hormonal e na perda de peso, quando é necessário. Quando a mulher está tentando engravidar, o procedimento habitual é tratar por 3 meses com anticoncepcional para limpar os ovários e depois medicação para estimulação da fertilidade.

Quando há resistência à insulina, a metformina pode ser um bom tratamento, pois esta alteração deixa os folículos mais duros dificultando ou impedindo que eles se rompam e gerem o óvulo. Com o tratamento com metformina essa espessura é regularizada e a ovulação acontece, sem resistência. A metformina tem um melhor efeito a partir do 2 ou 3º mês de uso, sendo a dosagem avaliada pelo médico conforme a resposta ao tratamento, sendo necessários um controle de ovulação para isso. Também pode ser combinada com o indutor de ovulação a base de citrato de clomífeno, geralmente é indicado nos casos em que só a metformina não fez a mulher ovular.

Em casos mais crônicos, em que a metformina e a indução de ovulação não surtiram efeito, é preciso uma avaliação com um especialista em fertilidade para um tratamento mais especializado com indutores injetáveis, coito programado, inseminação artificial e/ou fertilização in vitro em casos do homem também ter problemas de fertilidade.

Mulheres com ovários policísticos, possivelmente, tem mais propensão ao aborto, devido a irregularidade hormonal, por isso geralmente no tratamento é também indicado a complementação de estrogênio e progesterona. O ácido fólico também deve ser tomado todos os dias, ajudando a evitar má formações do feto e aumentado a qualidade dos óvulos.

Outro fator que pode ajudar muito no tratamento, é o acompanhamento paralelo entre o ginecologista e o endocrinologista, sendo que a sintonia entre eles é fundamental.

Para quem está tentando engravidar, além do tratamento específico para ovários policísticos, é importante tomar ácido fólico, que o marido também faça espermograma e após 1 ano de tentativas, a mulher faça uma histerossalpingografia para avaliação das trompas.

ATENÇÃO: NUNCA tome nenhuma medicação sem acompanhamento e prescrição do médico, pode trazer riscos sérios à sua saúde!

Alê
Blog Da Fertilidade à Maternidade


P.S.:  Gostou do post, então compartilha :), mas se for copiar cite a fonte, com link e a autora. É mais justo com quem pesquisa e escreve sobre o assunto para tentar ajudar. Obrigada, Alê


Comentários pelo Facebook
13 Comentários pelo Blogger

13 comentários:

  1. Nossa adorei o esclarecimento descobro a pouco tempo que tenho SOP e ainda estava meio perdida, mais muito obrigada vou estar sempre por aqui quando puder passa no meu tambem beijoos
    http://ocaminhodadonacegonha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. amei este post tirou todas as minhas duvidas obrigado

    ResponderExcluir
  3. Ola entao tenho 22 anos e descobri que tenho ovarios micropolicisticos aos 17 anos minha go disse que quando eu quisesse engravidar era so parar o antc durante 6 meses e em seguida se nao conseguisse engravidar voltaria tomar antc por mais 6 meses. Tomei selene desde que descobri e agr minha dum foi dia 17/07/15 nao estou gravida nem estou menstruando o que devo fazer ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, o melhor é procurar tua médica para ela avaliar, se já vc está tomando selene e a menstruação não desceu como habitualmente, ela vai ter que reavaliar o tratamento.
      Alê

      Excluir
  4. Gostei do post, tirando a parte que fala que o tratamento tem que ser feito com anticoncepcional. Antes de tomar, acho que as mulheres deveriam pesquisar para compreender por que ele é uma bomba pro corpo.

    ResponderExcluir
  5. Ola queria tirar uma dúvida...o escape menstrual no começo do uso de ac de uso contínuo é normal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janaína sim, pelo q minha médica explicou pode acontecer até a 3 a cartela.

      Excluir
  6. N sei Se tenho SOP ou ovários policisticos mas minha menstruação só vem 1 vez ou 2 por ano...
    Fui ao genecol.. Eram ovarios policisticos.. Mas eu tenho pele oleosa e pelos nas costas e no abdomen mas n tenho resistência a insulina e nem acne..
    Estou meio perdida...
    N posso tomar pílula
    Pq tenho pressão alta e enxaqueca..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, te aconselho procurar um endocrinologista para uma avaliação, ele pode avaliar o melhor tratamento para o teu caso.

      Excluir
  7. Tenho policísticos e avf será que consigo engravidar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silmara, sim, mas talvez seja preciso tratar os policísticos.

      Excluir

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger