Como superar o medo após a perda de um filho e voltar a tentar!

Perder um filho é uma situação muito complicada para os pais, é algo realmente indescritível, que só quem passa consegue entender realmente o que se sente. É uma dor imensa e algo muito difícil de superar, aliás acho que nunca se supera completamente, apenas se aprende a conviver com ela. E depois de passar por uma experiência de perda, como superar pelo menos o medo e pensar em ter um outro filho?!

Muitos devem conhecer minha história e sabem que perdi meu filho em maio de 2012, aos 6 meses de gravidez. Logo que aconteceu não conseguia nem pensar na hipótese de engravidar novamente, não tinha condições de decidir se iria querer tentar de novo. Nesse momento de luto passam muitas coisas pela cabeça da gente, porque aquilo aconteceu, medo de acontecer de novo, um outro bebê não vai substituir o outro, culpa, … Enfim, tive que passar por meu luto primeiro, dar um tempo para conseguir me encontrar novamente, então decidi não pensar no assunto de um outro filho, pelo menos por algum tempo. Nesse período, o apoio da família, e amigos foi fundamental, principalmente minha filha, meu marido e minha mãe, que me mostraram que eu tinha que reagir, afinal eles estavam ali e precisava de mim. Fiz terapia, voltei para a academia, tentei me ocupar durante todo o período da licença maternidade (a grávida a partir de 20 semanas tem direito a licença, mesmo em caso de bebê natimorto) até retornar ao trabalho. E a medida que o tempo foi passando, naturalmente consegui perceber que eu queria ter outro filho, mas que ainda não sabia quando ia me sentir preparada para isso.
Mais um tempo se passou, e estava mais segura para pensar no assunto de tentar de novo, mas o medo ainda era forte demais, “e se acontecer de novo?!”, era a pergunta que mais me perseguia. Até o dia que percebi que o medo não vai ir embora assim, que eu vou ter que aprender a conviver com ele e enfrentá-lo, não vai haver outra saída se eu realmente quero tentar de novo e quero. A partir daí tomei minha decisão de seguir em frente, então estou fazendo o que posso para que tudo corra bem, recomecei o ácido fólico, voltei na médica, refiz todos os exames necessários para ter certeza que em relação a saúde está tudo bem.

Quando engravidar, acho que vai ser tudo diferente, uma mistura de medo e alegria, sei lá, mas tenho consciência que a alegria vai ser mais forte. Lidar com as pessoas a minha volta, sei que também vai ser complicado, pois quem perde um filho sabe bem, que não por maldade, mas por ignorância, as pessoas não sabem lidar com essa situação e, eu acredito, que nem com essa de uma nova gravidez depois da perda. Enfim, faz parte e são desafios que vão me fazer mais forte e que valerão a pena pelo meu bebê.

Logo que tudo aconteceu, por indicação de amigas, conheci um grupo no Facebook de apoio a mulheres que perderam seus filhos, o GAMA - Grupo de Apoio a Mamães de Anjos, foi muito importante para mim. Conversar com outras pessoas que entendem tudo que você sente, traz conforto e ajuda muito. E é desse grupo, agora de amigas, que trago também esses depoimentos:

Quando cheguei em casa, vi seios cheios de leite e aquele vazio, minha ficha caiu...meu bebe querido e desejado tinha morrido!

Meu marido e minha mãe tiveram um papel especial naquele momento, quando eu só queria colo, silencio e ficar na minha concha. Ouvi coisas absurdas de outras pessoas, como comparações com a morte do cachorro, ou que não era para chorar porque foi melhor a morte do que ter um bebe defeituoso para o resto da vida, ou não chore porque Deus sabe o que faz, ou ainda: você engravidará de gêmeos para compensar esta perda. Reconheci meus verdadeiros amigos, que foram as pessoas que respeitaram meu silencio me enviando apenas uma mensagem "estou respeitando seu silencio, e estou aqui quando quiser conversar".

A recuperação é lenta, mas duas coisas foram muito importantes para mim: a primeira foi o Grupo de Apoio às Mães de Anjo, pela internet, onde vi que não fui a primeira e nem a ultima a perder um filho. A segunda foi uma viagem com meu marido para um lugar onde eu tinha certeza que não encontraria conhecidos. Esta viagem foi um divisor de águas, me fez refletir que minha vida não tinha acabado. Eu ainda tinha um marido amoroso que ansiava por uma nova tentativa. 

Dez meses depois, e liberada para uma nova gestação, parece que tudo aquilo que passei ficou num passado muito distante. As vezes meu coração fica apertadinho, mas faz parte. Afinal, eu perdi uma parte de mim...
Por Nadia Solis Ferrari

"Tenho uma filha de 08 anos de uma “gravidez perfeita”... no ano de 2011 após muito adiar resolvemos ter outro bebê  (sou filha única e meu sonho era ter mais de um filho, porém fui adiando este desejo), fiz todos os exames tudo perfeito... melhor impossível (isso no mês de março), final do mês de maio estava grávida e muito feliz. Encaminho novamente os exames e para nossa surpresa  positivo para toxoplasmose com contato recente. Neste momento começa nossa batalha: remédios, exames , consultas... um  martírio sem fim de palavras novas: cariótipo normal, sem infecção por toxo, depois olidrâmico, hidro nefrose, polidrâmico, hérnia umbilical, foram meses descartando possibilidades de enfermidades.. com 34 semanas nos preparando para seu nascimento, recebo uma ótima noticia: todos os exames estabilizados... só esperar o nascimento... na semana seguinte não sinto movimentos... ultra e constatação de morte intra útero... diagnóstico vasa prévia e placenta circunvalada … enterro meu sonho.. meu Lorenzo no dia 12/01/2012...

Todo processo que vivi teve dois fatores importantes: a maravilhosa médica que me atendeu, especialista em gravidez de risco e o diálogo aberto com minha família, que me fortaleceu na tomada de decisões. Sendo assim logo após o parto (cesária) começamos a nós preparar para uma nova gestação... com total apoio médico (ela por várias vezes me disse que quanto mais esperamos mais criamos monstros na nossa cabeça). Fizemos atendimento psicológico, exames, conversamos... após três meses estávamos liberados para tentar... achamos que ia demorar um pouco... que nada já neste mês estava gravida.

Grávida e feliz... minha família tbm..... todo o desânimo que sentia parece que sumiu por milagre.. novos planos (não fiquei menos triste, nem esqueci o Lorenzo, ele estava ali com sua saudade... com sonhos desfeitos... ali, nada nem ninguém irá substitui-lo). Pedia a Deus todos os dias para que fosse um menina, para ficar claro que não havia substituição... a gravidez correu super bem... não senti dores, enjôos... nada. Trabalhei e tive uma vida normal até um dia antes de ir para o hospital para uma nova cesariana. Não vou mentir senti muito medo... principalmente quando ia fazer os exames de ultrasson (todos eles...kkk), me apavorei na hora do parto, medo de não escutar meu bebê... algumas noites não conseguia dormir e ficava sentindo minha neném chutar e isso me acalmava... Comprei um doppler fetal para escuta-la todos os dias... por várias vezes isso foi minha terapia...

Outro fator que me machucou neste período foram alguns comentários, as pessoas tem tendência a não medir palavras, tentar achar culpados, no meu caso não houve culpados, não foi falha de pré natal, foi uma fatalidade, fiquei craque em ignora-las... eu estava bem, meu bebê estava bem, minha família feliz... o Lorenzo ninguém me traria de volta ( e essa dor é eterna).

Hj minha bebê está aqui com nós, nasceu dia 04/01/2013, com 39 semanas gestacionais, forte e linda... poucos dias antes do aniversário do seu irmão... isso foi possível graças ao apoio da minha médica e de minha família... o medo passa... a dor não... mais ter ela nos braços nos reconforta... nunca vou esquecer uma frase que ouvi ainda na maternidade após o nascimento do Lorenzo: “ todos podem dizer que sabem o que vc está sentindo... ninguém sabe, a dor é sua, a vida é sua... faça e sinta aquilo que for necessário para se reestruturar...

Posso dizer que engravidar novamente foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido... ocorreu no momento e na hora certa....
Por Flavia Figueiredo

"Sempre quis ser mãe, mas por vários motivos adiei meu sonho esperando por um bom emprego, casa, estabilidade financeira coisas que nem vieram de forma efetiva. Até que um dia resolvemos que já tínhamos esperados muito tempo e que minha idade já está chegando no limite pra uma gravidez mais saudável. Mesmo com  mioma e ovário policístico, depois de 6 meses veio o positivo.A alegria era enorme, e o medo também, mas fiz todos os exames e tudo normal. Fiz o primeiro US de 3 meses e ele era lindo, mexia que nem um peixinho, bracinhos, perninhas, mãozinhas, pezinhos, dedinhos, tudo certo TN normal, e todo assanhado já mostrou que era um menino.

Eu estava de 22 semanas, e a 4 dias de fazer a Us morfológica, quando no domingo tive um corrimento marrom mesmo achando que não era nada fomos a noite pro hospital.O medico não conseguiu ouvir o coração e com exame de toque disse que eu estava de 18 semanas que era muito pequeno pra 22 semanas. pediu para que eu voltasse no dia seguinte para fazer o US e ver o que tinha acontecido.Voltei pra casa chorando e meu marido tentando me confortar. No dia seguinte voltei ao hospital e foi constatado que meu pequeno estava morto, há pelo menos duas semanas pois sua cabeça ja estava até deformando... meu mundo caiu... chorei muito e no mesmo dia fui internada para que os procedimentos fossem feito. Foi por indução de remédio, saiu no dia seguinte de "parto normal" logo apos foi feito a curetagem. Voltei  pra casa com um vazio tão grande no corpo como se minha alma tivesse ido junto com meu bebê.

Fiz depois todos os exames pra ver se estava tudo em ordem, a GO disse que poderia tentar de novo depois de 3 meses, e esse tempo de espera acabou essa semana.


Agora vamos tentar de novo, o mais rápido possível, por dois motivos, o primeiro que já citei que é o fator idade, e o segundo que é o emocional.Hoje sinto uma tristeza tão grande e preciso continuar de onde parei. Nunca esquecerei meu pequeno Nicolas ele sempre estará no meu coração, mas adiar novamente seria uma tortura  pra mim.
Medo, tenho muito medo, mas lembro de cada momento feliz que passei com meu pequeno, desde o dia que vi a duas linhas no teste de farmácia, e a magia de ver ele no Us todo saltitante, as conversas que tinha com ele,e o meu marido todo bobo e feliz. É uma felicidade tão grande que sei que vai ser muito maior que qualquer medo, Alias medo eu já sentia também na primeira e sentirei na segunda na terceira...


Sei que um novo bebê não vai substituir o anterior, mas sei que a alegria será tão grande quanto de quem tem um segundo filho e é nisso que tento me apegar. Acho também que quanto mais tempo eu esperar maior será o medo, portanto o momento tem que ser agora e se Deus quiser vou conseguir!"
Por Ana Prado

Espero que esse post consiga ajudar outras mulheres a também seguir em frente!

bj,
Alê Nunes
Blog Da Fertildade à Maternidade


P.S.: Se gostou do post compartilhe o link, mas se for copiar para ajudar outras pessoas, coloque a fonte com link e a autora. É mais justo com quem pesquisa e escreve sobre o assunto para tentar ajudar. Obrigada, Alê



Já curtiu nossa página no Facebook?! Passa lá é 
http://www.facebook.com/DaFertilidadeAMaternidade
Comentários pelo Facebook
55 Comentários pelo Blogger

55 comentários:

  1. Amei os posts me ajudaram muito. Perdi meu bebê meu pequeno Matias em novembro de 2012.... o vazio ainda é grande mas o presença de um marido maravilhoso esta sendo primordial para minha recuperação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana, sinto muito. Que bom que gostou e que conseguimos te ajudar um pouquinho. Muito bom mesmo poder contar com o apoio do marido, fundamental, ele está de parabéns.
      bj e td de bom,
      Alê

      Excluir
    2. Dia 20 de Agosto fez um ano que tive meu pequeno Davi, que nasceu morto no oitavo mês de gestação.Ainda dói demais e acho que sempre vai doer, pois não tenho nem tive apoio de minha família, a qual ignorou minha gravidez e a morte do meu bebê. Meu marido e eu sofremos sozinhos e só Deus nos amparou e nos ampara. A saudade parece querer minar minhas forças para viver,por isso, tenho que me fortalecer primeiro para depois pensar em ter outro filho. Oro por ele e por mim, mas nunca vou esquecê-lo.

      Excluir
    3. Sinto muito! Que Deus fortaleça vcs e renove suas forças!
      Abraço,
      Alê

      Excluir
  2. ë complicado mesmo... mas a gente pega os caquinhos juntas tudo e faz um mosaico colorido. Perdi meu bb tbm e nao é fácil... hj estou indo para uma FIV. Rezando para tudo dar certo... acima de tudo quero ser mamae!
    que nossa barriguinha fique preenchida com um BB esse ano!!

    Bjus!!

    Nana

    http://maisdoquedois.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou torcendo para que dê tudo certo Nana, depois vem contar do seu positivo.
      bjs,
      Alê

      Excluir
  3. Na próxima semana fará três meses que meu filho Enzo morreu. Como é dificil fingir que ja superei por nao aguentar olhares e comentários de todos, inclusive da familia. Por eu ter sido diagnosticada pre eclampsia vou ter que esperar 6 meses para começar a tentar. Como foi bom ver os depoimentos de mães que não se entregaram. Adorei seu blog. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida, que bom que gostou e o post te ajudou, espero que dê tudo certo.
      bjs,
      Alê

      Excluir
  4. Olá meninas, passei por duas perdas e agora estamos investigando as possíveis causas!
    Gostaria de fazer parte do grupo GAMA... Como localizo na internet?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, vc encontra no Facebook, pode pesquisar por GAMA, aqui tem o link direto http://www.facebook.com/groups/312265238826103/

      Excluir
  5. Achar este blog me fez refletir muitas coisas. A 7 dias perdi a minha tão sonhada Alice. Ela nasceu de parto normal, mas não tinha vida. Tive pré eclâmpsia e ela não conseguiu resistir ao meu pico de pressão. Ta sendo muito dificil a perda, tá sendo muito dolorido, mas sei que Deus me dará outros filhos e que ela será sempre minha Alice, meu pequeno anjo que veio para alegrar minha vida por um momento e me fazer enxergar o quando a vida pode ser maravilhosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito Polly, é uma dor que realmente não tem o que se diga. Que bom que o blog conseguiu te ajudar de alguma forma. Muita força, tua anjinha com certeza só quer te ver bem, abraço.

      Excluir
  6. Adorei as postagens, são muito confortantes. Também perdi minha menininha com 24 dias em dezembro de 2012, mas graças ao amor de meu marido e de minha outra filha, estou conseguindo superar aos poucos. Estou grávida de novo de 11 semanas e tenho certeza que será nosso maior presente, nossa luz...bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana, obrigada pelo teu relatos, com certeza um grande incentivo para nós mães de anjos.
      Que Deus continue abençoando vocês e que teu bb venha cheio de saúde.
      bjs

      Excluir
  7. Oi a minha perda é recente tem um mes e estava de 32 semanas , tudo estava correndo bem ate no dia 18 de agosto eu ter um grande sangramento q resultou a minha perda mas antes passei por muita coisa .Quando me sentir mau meu marido me levou imediatamenta a um hospital q fica a 30km de distancia da cidade q eu moro e la passei a madrugada inteira com medo do q poderia estar acontecendo e nao tinha respostaai quando amanheceu eu tive alta mesmo sangrando e perdendo liquido, mas nao ficamos satisfeitos e viajamos mais 170km em busca de uma resposta e ajuda ai q eu fiz uma ultra e constatou perda consideravel de liquido ai fui transferida de ambulancia a mais 100km e la no dia 19 de agosto o meu pequeno nasceu e achava q tudo estava bem ele ate segurou meu dedo e do meu marido na uti neonatal, mas no dia seguinte ele faleceu de uma sepse. Ai q descobrimos q foi erro no pre natal isso mesmo tive uma infecçao urinaria desde de janeiro e meu medico nao me medicou, mas agora nao adianta achar culpados nada vai trazer meu Arthur de volta so vai ficar as lembranças dele e as coisas dele na minha casa ,o quarto ja decorado q eu vejo todo dia e essa dor q tento tirar mais nao consigo ta dificil demais choro sempre q estou sozinha nao consigo evitar e passo noites acordadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Erica, sinto muito, sei bem que não tenho palavras que vão conseguir amenizar tua dor. O que eu posso te falar é da minha experiência, aos poucos a dor vai se transformando em muita saudade, não que um dia não vá mais doer, mas vai chegar um momento que vc vai conseguir não sofrer com ela.
      Eu li essa reportagem essa semana e me identifiquei muito, acho que pode te ajudar tb, http://revistapaisefilhos.uol.com.br/perdi-meu-bebe/o-luto-pelo-bebe-que-nao-veio

      Muita força, que Deus abençoe e fortaleça vc e sua família, bj,
      Alê

      Excluir
    2. Obrigada Alê li a reportagem.Vc é a alessandra q comentou a reportagem? gostaria de te adicionar no meu facebook posso?

      Excluir
    3. Erica, faz 12 dias que aconteceu o mesmo comigo, perdi minha Lara, meu sonho, pelo mesmo motivo que vc, uma infecção urinária nao diagnosticada, estava com 24 semanas, ela chegou a ficar na UTI 21dias mas não resistiu. Meu contato é pra saber se vc sentia alguma coisa? Alguma dor? Eu sentia somente umas dores nas costas, não sei se isso era sintoma. As vezes penso que não vou superar... é muita dor.

      Excluir
  8. Oi meu nome e Cimeia e perdi meu Davi apos 63 dias de nascido, ele tinha cardiopatia congênita e tbm tinha ma formação na genitália e anus imperfurado. Foram 4 cirurgias, muita angustia, muito sofrimento. Soube dos problemas dele com 22 semanas de gestação, e desde então o que era p/ ser a realização de um sonho, se tornou um pesadelo.
    Quando penso no sofrimento dele, fico aliviada em ter acabado. Mas e muito frustrante ir p/ maternidade e voltar s/ bebê.
    Tenho a impressão que vou surtar a qualquer momento, esta sendo muito difícil.
    Estou indo ao geneticista p/ saber se ha a possibilidade de ter outro bebe, se for possível tentaremos ano que vem.
    Peço a Deus que me de estrutura p/ saber administrar essa nova gravidez, sem ter a " ilusão que meu bebê voltou !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito querida, muita força, que Deus te ilumine e te fortaleça.
      É muito difícil seguir em frente, mas aos poucos a gente consegue se fortalecer e seguir em frente.

      Excluir
  9. Meu nome é Juliana e perdi minha filha Mariana no dia 04/09/2013 ela nasceu de 29 semanas e pesando 750gr, com cinco dias de vida teve complicações no pulmão e veio a falecer. foi uma gravidez tranquila até as 26 semanas quando tive uma pré eclampsia. Confesso que não está nada fácil, mas tenho fé que irei superar e tentar de novo, ler os depoimentos e ver que não estou só nesta caminhada tem me ajudado muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é uma situação nada fácil Juliana, cada pessoa tem seu tempo para conseguir se recuperar, mas aos poucos a gente consegue. Continue tendo fé!
      Abraço e muita força,
      Alê

      Excluir
  10. Oi Alê adorei o seu blog, perdi também minha pequena Helena dia 19/07/2013 com 31 semanas de bolsa rota.
    Agora estou liberada para tentar novamente e ler relatos de pessoas que superaram é muito aliviante. Espero que em breve possa pegar o meu positivo, claro que a dor de enterrar um filho não tem explicação.. Porém peço a Deus que me dê força para continuar e discernimento para seguir em frente.
    Sei que não cai uma folha da arvore sem que o Pai queira.. é isso que alivia a dor do meu coração..
    Senhor acalme o meu coração e guie os meus passos para mais essa etapa na minha vida ..
    E beijos de coração para todas nós que somos mães de anjos.. sabemos apenas que amamos além da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que te ajudou Pryscilla, continue firme que tudo vai dar certo.
      Força e que Deus abençoe todas nós a seguir em frente.
      Abraço,
      Alê

      Excluir
  11. Perdi meu filho 40 dias depois que nasceu, após uma cirurgia cardíaca que seu coraçãozinho não resistiu. Não tive resguardo pq fiquei todos esses dias ao lado dele na UTI. E foram os 40 dias mais felizes da minha vida. Ele se foi tem 5 dias, a saudade é imensa. Não sai da minha cabeça os poucos momentos que passamos juntos... O último beijo que lhe dei de despedida, seu caixãozinho branco... Olhar agora o seu quarto intocável, sua mala de maternidade, suas poucas roupinhas usadas no hospital que ainda têm seu cheirinho... E difícil demais! Mas aqui vi muitas mães que sentem ou sentiram o mesmo que eu e que têm a esperança de darem a volta por cima. Tb vou conseguir!
    Adorei o blog!

    ResponderExcluir
  12. Perdi meu Lorenzzo a 6 dias,tive uma infecção que não foi descoberta onde,por fim além da infecção meu exame de toxo deu positivo,e ele já estava morto dentro de mim,a dor é inexplicável,tenho dois filhos lindos que amo muito de 11 e 8 anos,e um marido que é o amor da minha vida,tento recuperar e superar por eles,sei que vai demorar,sei que a lembrança nunca vai passar,mas vou seguir em frente,já culpei a Deus,,me culpo todos os dias,não consigo aceitar,não consigo fazer as pazes com Deus,mas espero que um dia tudo isso faça algum sentindo,pq hj não vejo sentindo nenhum nessa tragedia,meu pequeno se foi,mas deixou em nossos corações muito amor,o qual era esperado por ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito! É uma dor imensa, mas é preciso viver esse luto, ainda está muito recente, é normal se sentir assim. Aos poucos a gente vai conseguindo conviver com essa dor e a saudade. Não é uma situação nada fácil de entender, mas tenha certeza que teu Lorenzo estará sempre com vcs e viverá para sempre no seu coração. Abraço e muita força! Alê

      Excluir
  13. Esse pôster tbm me ajudou e me vi nessas história. Hoje faz 3 semanas que perdi minha Isabella, com 30 semanas de gestação, foi difícil, ta difícil, mas eu confio em Deus. Preciso ser forte,pois tenho meu filho de 10 anos que precisa de mim. Tenho todo apoio e colo da minha família, sei que serei abençoada novamente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que te ajudou Adri.
      bj no coração,
      Alê

      Excluir
    2. Tbm me identifique com o post, é incrível como algumas sensações são semelhantes. Tbm perdi minha filha com 30 semanas de gestação no dia 01/07, por causa desconhecida. Não senti nada, descobri durante a consulta de rotina. Uma surpresa! Sem dúvida, o pior momento da minha vida. Estou fazendo terapia e buscando forças para tentar novamente.

      Adri, seja forte. O tempo ameniza a dor, somente. Então, tenha fé e não perca as esperanças. Em breve teremos nossos bebês.

      Excluir
  14. Perdi meu bebe a exatos 3 dias, gravidez de 12 semanas, corria tudo bem até um dia que tive uma pequena secreção rosada, fui para o trabalho e como fiquei preocupada fui ao médico. Fiz uma escoraria e constatou descolamento de placenta, usei utrogestan, fiz repouso e voltei depois de 3 semanas para fazer uma nova ecografia, lá recebi a trágica notícia que meu bebe não tinha batimentos cardíacos. Pelos meus cálculos eu estava com 12 semanas e 4 dias, a médica disse que a gestação parou com exatos 11semanas e 4 dias. Meu mundo desabou, chorei muito, fomos para o hospital e meu GO logo me internou e fez a curetagem. Foi uma noite longa, chorei a noite inteira, e meu esposo comigo o tempo todo. Essa foi minha primeira gestação, essa criança foi muito desejada, eu não sei mas o que fazer com tanta dor... O meu GO disse que a causa provável foi má formação cromossômica, ele disse que só 6 meses posso tentar novamente, não sei se vou conseguir esperar tanto por isso pois não é uma substituição e sim desejo de ter um bebê, seguir uma gestação tranquila. Confesso estou com muito medo mas se for para passar tudo de novo eu passaria, oro para que não passe por isso de novo, tenho fé que Deus tirou por um motivo e vai providenciar um logo logo. Obrigada pelo espaço Att Andreia

    ResponderExcluir
  15. Eu li todas as postagens e fiquei mais confiante que logo realizarei meu grande sonho... Desejo sorte a todas as mamães de anjos, Bj no coração

    ResponderExcluir
  16. Gostei muito de ler essa histórias pois vivo
    Muito triste dia 13 de fevereiro perdi meus gêmeos Ana Júlia e julio César ainda sofro muito mais tenho esperança de engravida de novo

    ResponderExcluir
  17. Olá perdi minha bebê faz 10 dias com 36 semanas ,fiz uma cesariana e não tive forças para ver o rostinho dela e nem ir no seu enterro.Achei que fosse ficar louca ,mas meu filho davi de 8 anos ,meu marido e toda a família tem me ajudado muito.Espero que com a ajuda de Deus um dia eu consiga ficar Alegre novamente, dói muito.

    ResponderExcluir
  18. ola perdi meu bb a 1 semana ele nasceu com acondroplasia grave era super pequeno teve insuficiencia respiratoriA,fico 5 dias na uti..So tive a oportunidade de pegalo no colo no nicroterio isso me doi muito.Tentei engravidar por 2 anos e meio mas nao foi dessa vez:-(.muito lindo seu post gostaria de saber se vc tem algum grupo no whats app pois desativei meu face..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran, sinto muito!
      Me manda teu nro por e-mail dfamaternidade@gmail.com, que peço para uma amiga te add em grupo do whats.
      bj no coração,
      Alê

      Excluir
  19. Hoje estou muito triste e achei esse blog resolver contar um pouco da minha história para ver se fico um pouco mais aliviada. Sou Viviane tenho 35 anos e estou passando pelo piores dias de minha vida.em 2009 engravidei pela primeira vez, todos ficamos super feliz com a gravidez, tudo corria super bem não sentia nada os exames todos normais e com 17 semanas perdir meu bebê Matheus foi um choque terrível, fui diagnosticada com incompetência do colo do útero, levei dois anos para ter coragem e tentar novamente,quando resolvir tentar não conseguia pegar levou mas dois anos até que em 2014 veio novamente o tão sonhado positivo comecei o pré Natal tudo indo bem meu médico não achava que eu tinha incompetencia por está tudo normal, até que quando estava com 17 semanas meu colo dilatou novamente ele correu fez uma cerclagem do colo do útero de emergência mas infelizmente por negligência médica com 19 semanas fim de 2014 perdir minha Nicolly fmasiz todo o processo de curetagem novamente, mas uma vez à decepção a dor de não poder realizar meu grande sonho de ser mãe. Desta vez resolvir não esperar tinha enorme necessidade de engravidar novamente procurei outra medica fiz todos os exames quando fui liberada para tentar novamente 6 meses depois eu estava grávida novamente quando fiz minha primeira ultra descobrir que esperava gêmeos a felicidade foi enorme mas ao mesmo tempo veio a preocupação em saber que por causa da incompetencia tinha dificuldades de segurar um bebê quanto mas dois. Minha medica quando souber que era gêmeos achou melhor eu procurar um hospital público especialista de gravidez de Alto risco, foi o que eu fiz logo fiquei sabendo que era um casal, fiz a cerclagem logo no começo com 12 semanas de gestação, entrei de licença no trabalho fiquei de repouso toda minha gravidez para dar tudo certo tinha certeza que os gêmeos iria nascer bem. Até que dia 13/11/2015 com 25 semanas de gestação entrei em trabalho de parto minha pequena Maria Eduarda nasceu primeiro cheia de hematomas a pediatra disse ser das fortes contrações o coraçãozinho estava muito fraquinho e logo após o parto ela faleceu a dor foi imensa, mas ainda tinha meu pequeno Davi que apesar da gravidade da prematuridade os médicos falaram que ele nasceu bem não tinha nada até os pulmões estava formadinho os falaram que ele estava ali apenas para pegar peso por ser muito pequeno eu e meu marido confiamos acreditamos que ele iria superar nós acreditávamos que tudo ia dar certo e que Deus ia salvar a vida do Davi, apesar de operada todos os dias nos íamos ao hospital ficava quase o dia todo naquela uti com ele, todos os dias que eu chegava lá agradeceria a Deus por mas um dia de vida dele, eu implorava todos os dias falava Davi meu filho seja forte mamãe te ama por favor fique comigo não desista da mamãe, ele foi forte ficou a primeira semana super bem Até pegar uma infecção resistiu 13 dias naquela uti até falecer 26/11/2015 para minha maior tristeza poi eu confiava que todo aquele sofrimento ia passar eu sairia dali com meu filho no colo. Hoje faz um mês que ele está junto de Deus eu estou tentando retornar a vida normal superar todo esse sofrimento, eu quando perdir os dois primeiros sorrir muito mas agora a dor está insuportável em 13 dias enterrar meus dois anjinhos, com o Davi foi diferente tive oportunidade de conviver com ele durante aqueles dias poder alisar ele conversar com ele sentir seu calor ver ele abrir os olhinhos para mim. Todos os dias não tenho como não lembrar choro todas as noites por não telos mas comigo. Tenho 10 anos de casada e não temos filhos hoje ainda não sei se quero tentar novamente foram 3 gravidez e 4 bebês que se foram. Hoje preciso que Deus acalme meu coração porque a dor e sofrimento é muito estou sem chão, sem vontade de viver. Vou procurar ajuda profissional porque hoje entendo que sozinha não vou conseguir.
    Preciso muito de Deus na minha vida que ele conforte meu coração e me faça entender que essa foi sua vontade. Mas peço que me cure e faça o milagre em minha vida de ter meu filho um dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desista, não faz mal 3 gravidez, vá a luta com médicos que te acompanhem, eu sei o que é isso, acabei de postar a perda de meus gêmeos...vamos lá, vamos ser mamãe simmmmm!

      Excluir
    2. Nossa. Viviane , chorei ao let seu post , tbm perdi meu bebê , nasceu aos 8meses , mas faleceu com apenas 2 dias de vida. A dor é imensa ,só Deus para nos confortar. Mas olha , não podemos desistir . Vamos a luta enquanto tivermos vida

      Excluir
  20. gravidez maravilhosa... ás 37 semanas o bebé parou de mexer. vamos fazer cesarea. o meu bebé tinha um coágulo gigante numa veia. foi transferido para um hospital maior da Capital. ás 72h de vida tem uma hemorragia cerebral gigante. foi operado á cabeça mas só para tirar a pressão do sangue no cérebro. já nao havia muito mais para fazer... era MUITO GGRAVE. pensava-se que nao ia sobreviviver. sobreviveu 10 meses , deixou nos há 3 meses. eu entendo a sua partida. não via ,ouvia muito pouco não se mexia,nunca sorriu, nunca sentou... nao iria andar. não tinha terapia que o pudesse ajudar! mas amei-o com todas minhas forças e o acompanhei em tudo o que foi preciso. muitas vezes no limite do meu desespero. mas a verdade é que os meus sonhos foram embora com ele e agora não sei bem o que fazer com a minha vida. foi uma missão gigante, aprendi mais nestes meses do que em vários anos. gostava de um dia ter um bebé que me olhe nos olhos. sair do hospital com bebé.. peço forças para vencer o medo e para conseguir orientar-me.

    Abraço forte para Viviane Rodrigues. peça ajuda sim, é muito peso para carregar...

    ResponderExcluir
  21. Ola sou a franciane tenho 26 anos tenho um filho de 8 anos e dia 9 de dezembro de 2015 estava gravida de 31 semanas qdo fui numa consulta do pré natal o medico não conseguiu ouvir os batimentos do bebê fui ao hospital fiz uma us e foi constatado que o bebê estava morto pra mim foi um choque pq em casa todos estavam na espectativa do bebê nascer principalmente meu filho mas fazer o que era uma menina minha princesa Clara Beatriz e agora quero engravidar de novo o médico me liberou tenho que esperar 6 meses pra poder engravidar mas tenho fé em Deus que ele vai me mandar outro filho e que vai nascer cheio de saude se Deus quiser...

    ResponderExcluir
  22. É, lendo eu vejo que só quem já perdeu filhos é que consegue entender a dor da gente. Tenho 33 anos, estava grávida de gêmeos e com 26 semanas eu dilatei total em 2 horas, muito rápido, tive que fazer cesárea, eles viveram 48h e morreram praticamente juntos. Tive uma gestação boa, um pouco de sangramento interno com 20 semanas e assim passei a ficar em casa mais quieta, mesmo assim em um sábado saiu uma secreção amarronzada e fui no médico ele disse que não era nada, na segunda eu dilatei, hoje me dou conta que era o tal tampão que falam...ainda me pergunto: será que o médico não poderia ter feito algo quando eu disse que havia saído em casa um tanto de secreção marrom? Mas enfim, de nada adianta! Agora quero tentar de novo e minha GO disse que faremos cerclagem! Ai Deus nos ajuda, nossos corações de mamãe precisam sabe de que? DE FILHOS!

    ResponderExcluir
  23. É..somente nós para nos entendermos, digo dor de mãe é dor de mãe. Perdi meus filhos em dezembro, gravidez gemelar de um casas, durou 26 semanas, estava afastada do trabalho desde 20 semanas quando tive um sangramento interno que caracterizava descolamento de placenta, fiquei quieta em casa e proximos as 26 semanas e com exames sempre ótimos, numa tarde saiu um corrimento marrom, fui no médico e ele disse que não era nada, voltei para a casa e 2 dias depois começou cólicas fortes, dentro de 2h estava no hospital mas já era tarde, dilatação total, cesárea e 2 dias de vida para meu filhos, após 48 hs morreram juntos, médicos disseram que pulmões fracos. Meu DEUS, conforte nossos corações e nos dê o que precisamos: FILHOS. Não desistam meninas, vamos sim ser mamães! Minha GO disse que na próxima farei cerclagem! DEUS AJUDE Abração a todas

    ResponderExcluir
  24. Olá preciso muito conversar no dia 7 de novembro perdi minha bebe ela nasceu de 7 meses.
    Eu tive bolsa rota com 20 semanas sem nada de líquido me deixaram enternada.
    Foi dias de angústia uma falta de vontade dos médicos pra consegui medir o líquido eu tinha que paga as ultrassom particular mesmo estando dentro de um hospital público.
    Então no dia 6 de novembro as 16 horas comesei a sangra muito chamei um enfermeira e ela me disse espere acaba às visitas que eu mando um médico ir te ver.nisso acabou as visitas mesmo assim tive que ir atraz deles 5 vezes.
    Onde foi fazer minha Cesária 22 da noite ouvi minha bebe chora mas ao passar 11 horas ela faleseu esta vomitando sangue.Meu mundo acabou estou procurando força pra seguir nao durmo mais não consegui dar nada da minha bebe.
    A dor pior é que ao passa do tempo todos esquece e vc quer conversa.Me ajudem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, mas é assim, as pessoas esquecem, se desligam do ocorrido com mais facilidade, nós mães não, nós todos os dias contamos como se fosse um dia a mais com nossos filhos se eles estivessem vivos. Eu sofro todos os dias pois hoje eu ainda estaria com barrigão, seria a época de meus gêmeos nascerem, mas isso já foi, eles já nasceram e se foram...claro a dor é indescritível, o vazio, um sentimento inexplicável que é por isso que não julgo as pessoas que muitas vezes cometem deslizes com comentários desnecessários. Mas ouço e concordo é que somente outro filho para amenizar essa dor, mas apenas amenizar pois são insubstituíveis!

      Excluir
    2. Eu perdi meu anjinho Heitor com 19 semanas! Tive bolsa rota. Minha bolsa se rompeu e saiu todo líquido. Um pesadelo! Ficamos internados duas semanas pra vê se ele aguentava viver sem água! Fiquei no soro e tomando medicamentos pra hidratar! Mas ele não resistiu! E faleceu ainda dentro de mim. Então assim foi induzido o parto! Sofro demais até hoje! Meu primeiro filho! Meu anjo minha luz!nunca esquecerei! Do meu guerreiro que lutou tanto pra viver! Mas Deus precisava de um anjo muito forte com Ele. E levou meu filhinho que tanto sonhei! Mas Deus a cada dia me dá muita força! Quando aconteceu também falava que não queria mais filhos mas acho que é na hora da dor do vazio de não ter tido a oportunidade de pega-lo no colo etc...
      Ainda não estou tentando outro sei que o medo vai estar... mas Deus me dará força pra suportar tudo! Que Deus nos abençoe e realize nossos sonhos☝��������

      Excluir
    3. Nossa aconteceu o mesmo comigo

      Excluir
  25. Meninas, no caso de bolsa rota, o que o médicos falam para vocÊs para uma próxima gestação? Quais as providências? Minha médica falou em incompetência istmo cervical, cerclagem seria o indicado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clarice, não foi meu caso. Mas em uma próxima gestação, se tua médica suspeita de IIC, o meia indicado é fazer a cerclagem.
      bj, Alê

      Excluir
  26. Perdi minha Laura tem 4 dias. Dia 13 de abril de 2016 tive hemorragia e descolamento de placenta prematuro.
    Havia passado a madrugada num hospital tive alta com diagnóstico de infecção de bexiga. Fui pra casa e a hemorragia começou. Corri pra outro hospital e entrei numa cesariana de emergência. Minha Laura nasceu sem vida. Perfeita, formada, linda. Com 2.180 kg. Eu estava com 33 semanas.
    É muito recente. Eu estou sem chao. Me culpo por ter ido pra casa ainda com dor. Me culpo por não ter ido em outro hospital logo. Me culpó por ter a sensação q podia ter feito mais.
    Pude pega-lá. Tenho fotos com ela. Minha bb foi enterrada no mesmo dia.
    Agradeço a Deus por estar viva e ter meu útero preservado. Mas está difícil acordar e dormir sem meu bebê. Eram tantos planos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzana, não se culpe, infelizmente é algo que temos como prever e nem evitar. Sei bem como é difícil aceitar, mas acredite, não é culpa sua! bj, Alê

      Excluir
  27. Estou mim fortalecendo lendo nesse momento cada depoimento. Faz três dias que perdir meu bebê de três meses e 5 dias .Eu estava com pressão alta e o coraçãozinho parou. Eu estava muito emotiva acho que contribuiu para o aborto espontâneo. Estou tendo muita força Deus tem mim tocado

    ResponderExcluir
  28. Hoje faz 9 dias que a minha pequena Isabela nos deixou. Estava de 37 semanas e 5 dias, tudo estava indo bem, a gravidez perfeita, quando num exame de rotina veio a notícia, a pior da minha vida, batimentos cardíacos ausentes. Me lembro da expressão no rosto do meu esposo. A dor é muito grande. Ela era uma menina linda, nem nos meus melhores sonhos ela parecia ser tão linda. Minha filha amada. É muito difícil entender os planos de Deus, não tive a oportunidade de cuidar da minha filha, eu sou a mãe dela, só precisava saber se ela está bem. Logo agora, tão perto do dia das mães e faltava tão pouco... Mas meu anjinho está cuidando de mim, do papai e de todos que sentem a falta dela. E vocês mamães, não fiquem tristes, não chorem, a dor é inevitável, mas nossos anjinhos não querem nos ver tristes. Confiem em Deus e nos planos que Ele tem para nós.

    ResponderExcluir
  29. Olá! Eu sou Patrícia. Tenho duas filhas lindas, de 9 e 6 anos. Engravidei em outubro do ano passado e perdi o bebê em novembro com 5 semanas. Em janeiro engravidei novamente. Estava super feliz, apesar do medo de acontecer de novo estar sempre presente. Mas, como se passou o tempo e já estava de 13 semanas, ultrassom morfológico do primeiro trimestre perfeito, imaginei que fosse dar tudo certo. Mas, na semana passada, após sentir umas cólicas estranhas, fui ao hospital fazer ultrassom. O bebê já estava sem batimentos cardíacos. Eu o perdi!! Mais uma internação e mais uma curetagem! Só que desta vez foi pior! Eu vi meu pequeno menininho! ! Foi horrível! Estou arrasada!! Sem chão como tantas outras mamães de anjinhos!!!

    ResponderExcluir

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger