A Importância do Acompanhamento Pré-Natal!

O pré-natal, segundo a OMS, é um conjunto de cuidados, exames, acompanhamentos e orientações necessários durante o período da gravidez, parto e pós-parto, com objetivo de diminuir riscos tanto para a mãe, quanto para o bebê. Mas, como eu sempre falo por aqui, acho que os cuidados pré-natais deveriam começar tão logo a mulher desperta o desejo de ter um filho, ou seja, desde o período pré-gestacional. Afinal, muitos problemas que podem atrapalhar e trazer riscos a uma gestação podem ser detectados e tratados, antes mesmo que a mulher engravide, como problemas de tireóide, falta de vitaminas, compatibilidade sangüínea, outros problemas hormonais, anatomia do útero, … Enfim, nem sempre é possível se iniciar nessa fase, então tão logo se desconfie ou confirme a gravidez, marcar a consulta com o obstetra é fundamental.

O médico obstetra fará uma avaliação da sua saúde e a cada consulta serão muitos e muitos exames, acho que a fase em que mais fazemos exames na vida, ele também vai lhe dar uma carteirinha de gestante, onde será anotado os dados de acompanhamento a cada consulta, similar a uma carteirinha de vacinação infantil, onde o pediatra anota o desenvolvimento da criança, nesse o médico anota o desenvolvimento da sua gestação. Essa carteirinha vc deve carregar sempre com você, para qualquer emergência.


No início, as consultas pré-natais são mensais, depois, por volta de 30 semanas, passam a ser quinzenais e depois das 36 semanas semanais. Claro que, o obstetra pode solicitar uma periodicidade diferente, se houver alguma necessidade.

Relate alterações e leve todas as suas dúvidas para seu médico, pois a gestação é uma fase de muitas e muitas transformações, a maioria das mudanças são normais, mas, às vezes, algo que vc acha irrelevante, pode ser importante para seu médico. Uma dica que dou é anotar, faça o seu acompanhamento da gestação e antes da consulta, revise e leve o que pode ser relevante para o seu pré-natal.

Mais que alguns exames de ultrassom para ver como seu bebezinho cresce, o pré-natal é a melhor garantia de saúde para você e seu bebê. Lembre-se que daqui para frente a sua saúde é a saúde do seu bebê!

Aqui um checklist dos exames básicos do pré-natal:

"1a consulta: a 1a providência é fazer o exame de sangue para confirmar a gravidez. Com o resultado positivo em mãos, o especialista solicita:

- Ultrassom transvaginal (se o atraso da menstruação já estiver por volta de 6 a 7 semanas): avalia se o embrião está implantado adequadamente no útero, qual o tempo da gravidez, se é gemelar e se é ectópica, ou seja, ocorre nas trompas.
- Hemograma completo: checa os níveis de globulina e a necessidade de reposição de vitaminas;Tipagem sanguínea para fator RH: identifica se mãe possui RH negativo.
- Glicemia: aponta se a mulher é diabética.
- Sorologia para rubéola, toxoplasmose, HIV, sífilis e hepatites A e B: se identificadas, estas doenças podem resultar em malformações fetais.
- Urina tipo 1: investiga infecções e doenças renais.
- Parasitológico de fezes (exame de rotina).
- Papanicolau, se mulher realizou há mais de um ano.

1º trimestre
- Ultrassom morfológico: avalia as malformações fetais e a translucência nucal, a qual pode dar indícios da Síndrome de Down; para confirmar este quadro fazem-se os exames beta HPG livre e PAPP-A.

2º trimestre
- Ultrassom para acompanhar crescimento fetal, peso e líquido da placenta.
- Glicemia com sobrecarga: retira-se sangue depois da ingestão de uma alta taxa de glicose a fim de averiguar a ocorrência de diabete gestacional.

3º trimestre
- É o período ideal para realização do ultrassom 3D (imagem estática) ou 4D (imagem com movimento): com essa tecnologia é possível ver melhor órgãos internos do feto, como o funcionamento do pulmão. São mais indicados para casos de desconfiança de malformações, em virtude do grande detalhamento da imagem, e nas gestações normais contribuem para aumentar ainda mais o vínculo entre pais e nenê.

Entre 34 a 36 semanas
- Ultrassom obstétrico: Verifica o desenvolvimento do feto de acordo com a idade gestacional.
- Repetição do exame para HIV e sífilis: é importante rastrear novamente, porque essas doenças podem ser transmitidas ao bebê durante o parto.
- Streptococus do grupo A (bactéria existente no trato intestinal normalmente): pesquisar se há na vagina ou no ânus, pois no parto pode passar à criança e gerar infecção pulmonar - importante causa de morte no primeiro dia de vida do recém-nascido.
"
Fonte: Jornal Zero Hora

Alê Nunes
Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blogger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger