INTELIGÊNCIA EMOCIONAL: Como ajudar seu filho a lidar com o medo!?

É normal uma criança pequena sentir medo. O nervosismo é um sentimento natural que nos ajuda a lidar com novas experiências e nos proteger do perigo. Isso faz parte do desenvolvimento infantil, mas a criança precisa se sentir amparada quando esse sentimento vem à tona. Sendo assim, é importante que os pais respeitem e busquem entender os medos que seus filhos têm. Os medos são inevitáveis, mas controláveis se a criança conta com a confiança e a ajuda dos pais e responsáveis.
medo infantil

Mas o que causa medo nas crianças? Abaixo alguns dos temores mais comuns para cada faixa etária:

ATÉ 7 MESES De barulhos inesperados e luzes fortes.
- Para ajudar: evite expor a criança a qualquer estímulo intenso. Se não for possível, faça de maneira suave e verifique como ela reage.

DE 7 MESES A 1 ANO E MEIO De pessoas, ambientes e objetos novos; de perder os pais, pois acham que pessoas desaparecem quando não estão ao alcance de seus olhos.
- Para ajudar: o pai, a mãe ou o cuidador devem estar presentes quando o bebê for exposto a situações novas.

DE 1 ANO E MEIO A 3 ANOS Do escuro, de pessoas com máscaras ou fantasias, de ficar sozinho.
- Para ajudar: ao encontrar alguém fantasiado, aproxime-se devagar e mostre que é apenas uma roupa diferente. Se ele não gostar, não force.

DE 3 A 5 ANOS De monstros, fantasmas, da escuridão, de animais, chuva, trovão, de se perder.
- Para ajudar: respeite a criança, permitindo que se expresse, e explique que nada lhe acontecerá de mal. Quanto ao medo de se perder, faça-a decorar o nome inteiro e o telefone de casa e a ensine a pedir ajuda. Ela se sentirá mais segura.

A PARTIR DOS 5 ANOS De ser deixado na escola, de bandido, de personagens de terror.
- Para ajudar: insegurança melhora com diálogo. Se o medo for de bandido, reforce, por exemplo, a importância de ficar perto de adultos conhecidos. Para a criança se sentir segura, diga que alguém sempre estará cuidando dela na escola.

A PARTIR DOS 6 ANOS Da própria morte e da dos pais, pois já a entende como algo irreversível; de ser criticado.
- Para ajudar: se houver perguntas sobre morte, não invente histórias absurdas, diga a verdade de forma delicada. E quanto às críticas: explique que elas nos ajudam a melhorar.
  
Mais algumas dicas:
Se seu filho tem medo de escuro, coloque um abajur no quarto dele ou deixe uma luzinha acesa à noite. Também experimente lhe dar um "guarda" para protegê-lo (como um bichinho de pelúcia de que ele goste), borrife o quarto com um spray "antimonstro" (um spray com água, mesmo) ou pronuncie frases mágicas para afastar visitantes indesejados -- levando a coisa a sério!Por meio de tentativa e erro, você e seu filho vão descobrir um jeito de ajudá-lo a ter mais sensação de poder e de controle sobre as coisas que o assustam.

O que os pais não devem fazer:
- Não assuste seu filho com histórias de ogros, fantasmas, bruxas, etc., principalmente antes de dormir. Você tem que dizer-lhe que esses personagens somente existem nos contos e filmes.

- Não ria dos temores que seu filho expressa. Se o ridiculariza ou zomba do seu medo, diminuirá sua confiança. Frases como: “não seja bobo”, “crianças como você não devem ter medo disso”, ou “ não tem vergonha de ter esses medos...”, não contribuirão para diminuir o temor que ele sente. Pelo contrário, o desanimará a compartilhar seus temores contigo.

- Não transmita mais medo ao seu filho do que ele já tem. Ele necessita ter segurança e confiança. Não ignore seus medos. Não minta, por exemplo, dizendo-lhe que uma injeção não doerá ou algo parecido. Se mente sobre uma situação de medo, produzirá mais temor. Ajude-o a preparar-se para enfrentar a situação com verdade e honestidade. Se seu filho tem medo de ir ao colégio, ouça suas razões, leve-o à escola, visite e mostre sua sala de aula e diga-lhe o quanto irá aprender ali.

- Não obrigue seu filho a passar por situações que ele tem medo. Os medos não se superam enfrentando-se a situação de uma vez por todas. Em lugar de ajudar, algumas vezes isso intensifica o medo. Seu filho tem o direito de acostumar-se pouco a pouco com a situação que ele teme. Não o obrigue ver um filme do qual ele tem medo, ou que acaricie um cachorro que ele não gosta.

- Não transmita seus temores pessoais ao seu filho. Se você tem medo de aranhas, seu filho pode sentí-lo. A forma como você enfrenta seus próprios medos dará ao seu filho o padrão a seguir para enfrentar situações similares.

Se o medo de seu filho interfere rotineiramente nas atividades normais -- ele não lava o cabelo porque tem medo de água ou não quer ir brincar lá fora porque acha os cachorros assustadores --converse com o pediatra. A criança pode estar sofrendo de algum tipo de fobia ou um problema de ansiedade. Também é bom procurar o conselho do médico se seu filho fica aterrorizado a ponto de não conseguir ser acalmado.

Fontes: Revista Crescer/ Pedagogia ao pé da letra/ Guia infantil/ Baby Center.

Em breve postarei mais dicas sobre atividades estimulantes e muito mais!
Quer ficar por dentro acesse 
www.facebook.com/PriscilaOliveiraPsicopedagogaInfantil

Priscila Oliveira

Pedagoga, Psicopedagoga Clínica e Institucional, Especializada em Estimulação de zero aos três anos pela Little Genius e UNIAPAE e colunista do Blog Da Fertilidade à Maternidade.


Blog Da Fertilidade à Maternidade

P.S.: Gostou do post, então compartilha :), mas se for copiar cite a fonte, com link e a autora. É mais justo com quem pesquisa e escreve sobre o assunto para tentar ajudar. Obrigada, Alê

* As informações disponíveis são meramente informativas, os comentários respostas são informações leigas e não substituem a Consulta Médica!
Comentários pelo Facebook
3 Comentários pelo Blogger

3 comentários:

  1. Ótimas dicas. Os sentimentos das crianças são reais e precisamos respeitá-los e saber lidar com eles. Passeio por isso com as minhas filhas, como todas as mães passam, né? Eu usei muito a leitura e desenhos para lidar de forma lúdica. Usei muito a coleção "Quem tem medo?" da Ruth Rocha. Se você quiser dar uma espiada, tem um post lá no blog falando desses livros e das brincadeiras que fizemos: http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/2009/08/medo.html

    beijos
    Chris

    ResponderExcluir
  2. Vejo crianças que não tem medo de monstros ou de escuro, mas por outro lado são inseguros, choram com facilidade, só gritam. E por isso eu acho que e o assunto inteligência emocional é ainda mais complexo.

    ResponderExcluir
  3. Adorei as dicas, e super importante saber como ajudar nossos filhos ainda mais com esse assunto que e tão delicado, passar segurança e fundamental com muito amor!
    Beijos
    Gleysa
    www.mamaeursa.com

    ResponderExcluir

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger