Controlando o peso na Gravidez

Cautela e discernimento são palavras-chave quando o assunto é a orientação nutricional de gestantes e nutrizes. As restrições calóricas e protéicas - em defesa da boa forma da mulher - podem comprometer o desenvolvimento do feto e a amamentação. No caso de excesso, quase sempre o prejuízo é maior para a mãe.

Na verdade, o crescimento da demanda calórica na gestação não significa "comer por dois", mas sim uma suplementação calórica cerca de 10% superior ao valor recomendado numa dieta normal e fora do período de gestação e lactação.

Se a gestante pratica atividades físicas é ainda mais importante confrontar exercícios e dieta que permitam um equilíbrio calórico. Isso porque, quando as proteínas e gorduras da dieta são mobilizadas como fonte energética, o desenvolvimento intelectual da criança pode ser afetado.

Ao contrário, o abuso na ingestão de alimentos leva a ganho de peso. Os maiores riscos da obesidade adquirida durante a gestação são, sem dúvida, prejuízos estéticos. O excesso será acumulado em forma de gordura, depositando-se em todo o corpo, mas especialmente em regiões como a barriga, nádegas, coxas e seios.

O ganho de peso total desejável numa gestação normal é objeto de muita discussão e polêmica. Ao final dos nove meses, ele será em média de 11 quilos (ver tabela). Após o parto, numa gestação de evolução normal, quase 50% desse peso total será perdido. O restante é perdido de forma mais lenta pela regressão do volume uterino. Imediatamente após o parto o útero é aproximadamente 10 vezes maior que numa mulher não grávida. O peso ideal será alcançado dois ou três meses depois do nascimento do bebê.

As mamães que engordam além da conta terão mais trabalho para voltar ao normal. Exercícios, dieta e principalmente força de vontade serão básicos para deixar tudo no lugar novamente. E, depois de todo esse esforço, podem acontecer surpresas desagradáveis, como flacidez, gordurinhas localizadas e estrias de pele. Na teoria parece fácil. Mas hábitos alimentares e padrões de comportamento consolidados podem dificultar o processo.
Ganho de peso materno global numa gestação única:
Recém-nascido
3,0 Kg
Placenta, líquido amniótico e membranas fetais
2,0 Kg
Aumento do útero materno
0,9 Kg
Aumento dos seios maternos
1,4 Kg
Aumento do peso materno - proteínas
1,4 Kg
Líquido
1,4 Kg
Gorduras
0,9 Kg
Total
11,0 Kg

Fonte: "Gravidez e Lactação", Paulo Timóteo Fonseca - Ed. Vozes
Publicação: Junho 2001 - Edição: 9

bj,

Alê
Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blogger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para enviar sua dúvida, use os comentários pelo Blogger, não pelo Facebook, pois nesse não recebemos aviso e não temos como responder rapidamente.


HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger