Cuide da Audição do seu filho: Para ouvir pela vida toda!


Um dos sentidos mais importantes, a audição precisa de cuidados que começam ainda na gestação.

Quando chegamos ao mundo, antes mes­mo de conseguirmos ver, tudo o que existe para nós se apresenta por meio dos sons. São sinais que compreende­mos e assimilamos ao longo da vida, vindos das palavras de afeto, dos sons dos animais, dos objetos, das cidades ou das músicas que emocio­nam e embalam o nosso cotidiano. Por isso, para ga­rantir que essa experiência seja vivida em sua com­pletude, é preciso adotar alguns cuidados, que começam na gestação e perduram por toda a vida. “Muitas mulheres, como as hipertensas, as diabéti­cas ou as que têm alguma doença crônica, precisam de medicação inclusive durante a gestação. E esses são fatores que podem afetar a formação do sistema auditivo do feto. Daí, a necessidade do acompanha­mento ginecológico e a importância do pré-natal”, explica a médica Adriana Gonzaga Chaves, otorrino­laringologista do Fleury Medicina e Saúde.

Por que uma mulher não consegue engravidar?!


A constatação de problemas de fertilidade só é feita pelo especialista em reprodução humana. Exames auxiliam a revelar as causas e a traçar diagnósticos precisos
Muitos casais se deparam com um fato inesperado quando decidem ter um filho: a infertilidade permanente ou temporária. Normalmente, a mulher que não faz uso de métodos contraceptivos pode levar até 12 meses para engravidar. “Em princípio, mulheres que utilizam anticoncepcionais orais, podem engravidar assim que o uso das pílulas for interrompido. Já os anticoncepcionais injetáveis de aplicação mensal ou trimestral podem ter um efeito cumulativo no organismo”, explica o médico Joji Ueno, diretor da Clínica Gera.

Como emagrecer após o parto?


Cada litro de leite que a mãe produz gasta, em média, 900 calorias


Depois dos nove meses mais longos da vida de uma mulher, enfim, o bebê nasceu e é perfeito. O que não está tão bonito assim é o corpo da mãe, que ainda apresenta as "gordurinhas" adquiridas no período de gestação. Mas não é preciso desespero. Ao seguir algumas dicas, logo o espelho volta a conhecê-la.

Não é recomendado que a mulher faça dietas com grandes restrições calóricas após o parto, para não prejudicar a oferta de nutrientes (a exemplo do cálcio e da vitamina D) ao bebê. Por essa razão, a montagem do cardápio deve ter a supervisão de um nutricionista.

Como a preocupação é, sobretudo, com a criança, seguir a orientação dos médicos favorece mãe e filho. O ato de amamentar auxilia na redução de peso pós-parto, uma vez que, para produzir o leite humano, a mulher tem um gasto energético elevado: a cada litro são 900 calorias. Além do mais, os processos de produção e de liberação do leite estimulam as contrações uterinas, auxiliando o retorno ao tamanho original do órgão.

Relacionamento: Separados pelo filho?!

Bebê nem sempre une pai e mãe, mas pode separar marido e mulher. Um descompasso no comço é normal, mas tem que cuidar para o relacionamento não sair do trilhos

O nascimento do primeiro filho muda a vida de um casal bem mais do que a gente consegue imaginar antes do parto. Junto com os sentimentos felizes da chegada do bebê e da união motivada pela responsa que colocar um novo ser humano no mundo gera, há certo estremecimento na vida daquele marido e daquela mulher. Dá para dizer que o abalo sísmico é quase certo. A diferença está na escala Richter: pode ser um tremorzinho ou um terremoto daqueles.

Dicas para a amamentação

Confira as sugestões que farão a diferença na hora de você alimentar seu filho 
Malu Echeverria

Prepare-se
Cursos para gestantes podem ajudá-la a ter noções sobre o que é amamentar, como funciona a produção e ejeção do leite, como o bebê deve pegar corretamente no bico do seio. Correr atrás de informações é a melhor forma de se preparar para os desafios que podem surgir. Artifícios para tornar os mamilos mais resistentes, como passar a toalha de banho e tomar sol nos seios só devem ser feitos quando indicados pelo obstetra, pois cada mulher responde de uma forma aos procedimentos.

De diarreia a insolação, saiba prevenir doenças de verão em crianças!

Verão é sinônimo de férias e muito calor. Mas, sem alguns cuidados, as crianças podem ser vítimas de micro-organismos que ficam à espera de uma oportunidade para atacar e dos efeitos nocivos do sol. Conheça os principais males da estação e veja o que fazer em cada caso. "E, antes de viajar, peça ao pediatra uma lista de medicamentos que podem ser necessários", orienta Isabel Rey Madeira, da Sociedade Brasileira de Pediatria.

CONJUNTIVITE
O que é
Reação inflamatória na conjuntiva, película que recobre o globo ocular. Existem várias causas, e a mais frequente no verão é a irritação provocada pelo sol ou por contato com cloro presente na água da piscina e com areia. A proximidade de outras crianças também facilita a conjuntivite viral. Se não for tratada, ela pode evoluir para a conjuntivite infecciosa
Sintomas
Vermelhidão, coceira e dor na região dos olhos
Como prevenir
Lavar sempre as mãos, usar óculos na piscina ou evitar abrir os olhos debaixo d'água sem proteção, não levar a mão suja de areia até os olhos. Mas os pediatras reconhecem que é difícil seguir essas recomendações

Bater não educa?!

Não dá para banalizar a “palmadinha” como recurso de educação. Crescer ouviu pais e especialistas para traçar essa linha que separa o que pode-se imaginar como educativo da real agressão: é tão tênue que praticamente inexiste

Por Ricardo Ferraz
Albertina (nome fictício) perdeu as estribeiras quando viu a filha de 3 anos brigar com uma prima da mesma idade. Sem tentar conciliar o conflito, agarrou a criança pelo braço e saiu arrastando-a pela casa. O castigo aumentou quando Albertina percebeu que a menina havia feito xixi na calça. Passou então a dar palmadas nas pernas dela e a perguntar aos berros: “Por que você fez isso?”. Só parou quando a filha respondeu, apavorada: “Eu estava com medo, mamãe!”. A resposta desarmou a agressividade da mãe e transformou-a em dor, culpa, remorso e... raiva. Desta vez, de si própria. “Virei um monstro de quem minha filha tem medo. Sou o bicho-papão dela”, conta a auxiliar administrativa. 
A atitude de Albertina é mais comum do que se imagina. Muitos pais que reagem a insatisfações dos filhos com castigo físico se vêem freqüentemente diante de um dilema: qual o limite ao tentar impor limites? 

Como prevenir a mastite?!

Por Cyntia Nogueira

O bebê acabou de mamar, mas continua sobrando leite no peito? Então trate logo de massagear as mamas para retirar o que restou. Esse cuidado é importante principalmente nos primeiros dias de amamentação, quando a mãe pode produzir mais leite do que a criança precisa. Nesse caso, se a ordenha manual não for realizada, o líquido parado nas mamas pode endurecer e virar um prato cheio para as bactérias.

Daí, é um pulo para a mastite, uma inflamação seguida de infecção que atinge as glândulas mamárias. “Trata-se de uma doença oportunista, que costuma ocorrer cerca de duas semanas após o parto”, explica a enfermeira Márcia Regina da Silva, encarregada do curso de gestantes do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo, e jurada do II Prêmio!. Segundo ela, são mais suscetíveis ao mal as mães que não repousam apropriadamente, sem falar nas que não se alimentam nem fazem a reidratação adequada para compensar a perda de líquidos durante a amamentação.

Amamentação com mamilos planos ou invertidos!


Como sei se tenho mamilos planos ou invertidos? 


Os chamados mamilos planos não chegam a se sobressair muito em relação à área em volta mais escura do seio (conhecida como aréola) e não se projetam facilmente para fora quando estimulados, o que pode tornar a amamentação um pouco mais difícil.

No caso dos mamilos invertidos, eles se contraem ou se projetam para dentro ao ser estimulados e têm a aparência plana, ligeiramente invertida ou bastante invertida no centro.

Para saber que tipo de mamilo você tem é fácil: com ajuda dos dedos indicador e polegar, faça uma espécie de "C" e suavemente aperte a região da aréola. Se seu mamilo não ficar saliente, então ele é plano; caso se volte para dentro, ele é invertido. Os mamilos podem ser ainda curtos (saem pouco para fora) ou pseudoinvertidos (apesar de voltados para dentro, geralmente saem para fora quando estimulados). 

Como criar bons hábitos para dormir: 9 a 12 meses


Nesta idade, os bebês costumam dormir entre 10 e 12 horas por noite, e tiram duas sonecas de uma hora e meia a duas horas cada. É importante que seu filho esteja dormindo bem, já que o sono é essencial para o desenvolvimento (muitos hormônios, incluindo o do crescimento, são liberados enquanto se dorme). Tente manter uma rotina regular para a hora das sonecas também. Muitas vezes, quando a criança não dorme de dia, o sono da noite acaba prejudicado -- ela pode demorar mais a adormecer ou ter um sono mais entrecortado.

Como ajudar seu filho a dormir

Continue a aplicar as técnicas que você e o bebê já aprenderam, incluindo:

Siga um ritual para a hora de dormir.
A rotina pode incluir um banho, uma brincadeira mais tranquila, a leitura de uma história ou uma canção de ninar, mas o importante é que você mantenha a mesma ordem e horário diariamente. Seu filho vai gostar da repetição da rotina, que, além de tudo, sinalizará para ele que a hora de dormir está chegando.

Acidentes domésticos

Essa tb é legal: Acidentes domésticos

Alê

Dicas especiais para festinhas infantis

Oi meninas, ainda estou em férias, mas li essa matéria do Villa Filhos e achei legal compartilhar.

Dicas especiais para festinhas infantis

bjsss,
Alê

HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger