Filhos de pais separados: Cada idade, uma reação!

Uma realidade nem sempre agradável, mas que hoje é bem comum, passei por isso com meus pais e hoje estou vivenciando essa situação, então achei interessante postar:

Para saber como seu filho vai lidar com o fato e adaptar a família à nova vida, você precisa entender exatamente em qual fase de desenvolvimento a criança está

Este mês foi confirmado na imprensa que a atriz Danielle Winits se separou do ator Cássio Reis, com quem teve Noah, de 2 anos. Em entrevista aos tabloides, o casal afirmou que a maior preocupação era o bem-estar do filho. E de fato são as crianças as que mais sentem com os novos rumos que os pais decidem tomar.

Ao se separar, o casal tem de buscar toda a maturidade possível para encaminhar bem a reação dos filhos à nova fase que se inicia. E, por mais que os pais sejam cuidadosos, a rotina muda. Bebês ficam agitados, crianças pequenas voltam a fazer xixi na cama e crianças crescidas passam a dar problemas na escola. Mas, bola pra frente. Separação não é só drama: se a decisão aconteceu, ajudar os filhos a encarar a nova fase será importante para todos.

Aprenda o que o grávida pode ou não e acabe com as lendas

Matéria bem interessante do Site Minha vida:

Durante a gravidez, a futura mamãe fica cheia de dúvidas sobre os próximos nove meses. São tantas as perguntas que, muitas vezes, durante as consultas do pré-natal, algumas deixam de ser formuladas por esquecimento. Costumo recomendar às minhas pacientes que elas anotem tudo num papel e não tenham vergonha: tirem suas anotações de dentro da bolsa e perguntem o que quiser. Quanto mais informação, mas tranqüila a gestante fica.

A seguir, listo as dúvidas mais comuns que surgem sobre a gravidez e com as quais me depara com mais freqüência durante o atendimento clínico diário:

Minha Esposa pode estar com Depressão Pós-Parto. E Agora?

Essa matéria é do Site Segredos de Mãe, http://www.segredosdemae.com.br, achei muito legal e resolvi compartilhar aqui tb, já que eu passei por isso e vi como é importante ter esse apoio, que infelizmente não tive.

Para as gravidinhas, passem essa matéria para seu parceiro, pois é muito importante que ele esteja informado sobre o assunto. Possivelmente isso não vai acontecer com vcs, mas se acontecer ele vai estar preparado.

"Noites em claro, sessões intermináveis de choro, cólicas. Os primeiros meses do bebê em casa, são de muita alegria, mas a adaptação não é fácil. Todos tem que se adaptar a uma nova rotina de muito trabalho e dedicação. Os Pais nunca fizeram tantos sacrifícios como agora. E o bebê tenta aprender como funciona esse novo mundo tão diferente da barriga da Mamãe.

Meu filho não come: como lidar com crianças com dificuldades de alimentação

Chegada a hora do almoço, começa a batalha entre pais e filhos. Depois de broncas, ameaças, choros e manhas, alguns adultos se dão por vencidos e acabam deixando que a própria criança decida o que vai comer ou até se vai comer.
 
O tormento se inicia, geralmente, a partir dos dois anos. Com o início da fase de autonomia da criança, quando ela passa da alimentação infantil para uma mais adulta é que os problemas começam. É comum escutar dos pais que quando o filho era bebê comia de tudo, mas que depois de algum tempo começou a apresentar menor interesse pela comida e frequentes oscilações na preferência e aceitação dos alimentos. 

Filhos na hora certa

Como saber qual é a melhor época para se ter filhos? Algumas histórias e reflexões podem ajudar a responder a essa pergunta e fazer você repensar sua decisão

Karina Lawrence tem 30 anos, é bióloga e trabalha como pesquisadora no laboratório de Metabolismo da Célula Tumoral da Universidade de São Paulo. Depois de quatro anos de faculdade, fez mestrado por dois anos e está acabando o doutorado, que durou quatro. Podia se dar por satisfeita. Humm,mas quem sabe fazer só mais um pós-doutorado de um ano e meio? É só mais um pouquinho. Aliás, para dizer a verdade, não existe apenas só um pós-doutorado.

São vários, em diversas áreas. Quanto mais, melhor. É justamente aí, durante os pós-doutorados, que acontecem os convites ao exterior, a possibilidade de melhores empregos, bolsas bem remuneradas na área de pesquisa de ponta. Fazendo as contas, pode ser que essa história termine quando Karina tiver 33 anos – ou mais. É quando ela planeja ter um filho. Isto é, pelo menos uns dez anos depois da época biologicamente indicada para a mulher começar a procriar, segundo os médicos especialistas no assunto.

ALMA DE MULHER!

Nada mais contraditório do que ser mulher...
Mulher que pensa com o coração, age pela emoção e vence pelo amor.
 

Que vive milhões de emoções um só dia, e transmite cada uma delas num único olhar.

O bebê chegou e agora?! Mudança de rotina, descobrtas, surpresas, erros e acertos...

É uma mudaça bem grande, principalmente para a nova mãe, então achei legal colocar essa matéria e depois colocar as minhas dicas:

"O bebê nasceu! À volta para casa com o bebê nem sempre é tranqüila, afinal toda rotina mudou e o bebê nos primeiros meses é um mistério a ser descoberto pelos pais. Errando e acertando, vocês encontrarão o caminho. Lembrem-se que a família está se adaptando a uma nova vida. Sejam os pais que vocês precisam ser e não o que os outros esperam, portanto mantenham o bom humor e não sejam tão exigentes consigo.

Preparar-se para estar atento ao bebê é importante, por isso veja algumas dicas para que os primeiros dias do bebê em casa deixem boas saudades!

Diabetes gestacional: tudo o que você precisa saber sobre essa doença!

Até mulheres que nunca tiveram sintomas de diabetes, podem apresenta-los na gestação. Entenda o que é e por que o tratamento até em casos leves é fundamental para a saúde da mãe e do bebê

Ana Paula Pontes e Ana Holanda - Revista Crescer

Mesmo que você nunca apresentou sintomas de diabetes, saiba que ela pode aparecer na gravidez. As causas ainda são desconhecidas. Acredita-se que certos hormônios produzidos pela placenta possam bloquear a produção de insulina, substância que equilibra o açúcar no organismo.

A falta de insulina impede a eliminação do açúcar e eleva o nível de glicose no sangue, trazendo risco de aborto e de pré-eclâmpsia. Antecedentes familiares, ter tido um bebê com mais de 4 quilos ou engravidar acima do peso estão entre os fatores de risco para desenvolver a diabetes gestacional. Além disso, os médicos consideram que mulheres com mais de 35 anos têm maior propensão à doença por conta de alterações na placenta. Até sangramentos na gengiva merecem atenção. Eles podem ser um sinal de que o seu sangue está mais "doce" que o normal. Para entender um pouco mais do assunto, confira outros detalhes:

HomeSobreAnuncieContato



Da Fertilidade à Maternidade - 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger